Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
Editorial Categories [?]
Synopsis

This essay by Professor Raúl Antelo addresses the issue of place in a theory concerning the marginalizing of Latin American culture, more specifically within South America. This culture has always been viewed through a prism of exclusion and discrimination, and has only ever been included as a token of something radically different. Antelo believes that taking a new approach to it involves analyzing the idea of “place” and replacing it with the concept of “space” (either literary or fictional) in order to trace the genealogy of secondary cultural practices that create a theoretical collective sense that challenges the logic of a repressive or inhibiting modernity. One of these practices is “translation,” an essential process for modernist (in the Brazilian avant-garde sense of the word) Latin American literature whose poetics yearn for a local brand of ontology. The objective for these South American trends was to affirm that they belonged to western tradition from a marginalized space, an intermediate place—Antelo uses the term “in between place” in his reference to Silviano Santiago’s text (1971)—that retains the memory of both the inclusion and the difference. In this process, what was referred to as South American modernism appropriated the best of western culture while acting against it because of its ambivalent condition, thus reclaiming its universality. Antelo suggests that this logic should be pondered, although also in reverse, and not just in a universal sense, but as a constant construction of the difference. Within these parameters, the author analyzes the work of Jorge Luis Borges, whose creative process is always based on a destruction of the original referent, therefore producing a dislocation of the model. Based on Borges’ work, the text traces a genealogy of a modernity that functions like a “productive destruction.” This genealogy can be traced back to Walter Benjamin, who had already developed it in the 1930s based on crossed references of South American authors.    

Leia esta sinopse em português
Synopsis

O ensaio de Raul Antelo reflete sobre o lugar de uma teoria das margens na cultura latino-americana e sul-americana. Essa cultura foi sempre entendida sob o prisma da exclusão, discriminação ou incorporada apenas como espaço do radicalmente diferente. Segundo Antelo, para repensá-la, é necessário problematizar a noção de lugar, substituindo-a pela noção de espaço (literário, ficcional), traçando assim a genealogia de práticas culturais subalternas que formam um imaginário teórico, contraposto à lógica coercitiva da modernidade. Uma dessas práticas é a tradução, procedimento central para a literatura modernista latino-americana, cuja poética estava em busca de uma ontologia nacional. Para o modernismo sul-americano, tratava-se de afirmar seu pertencimento à tradição ocidental num espaço marginal, num "entre-lugar", que guarda a memória da incorporação e, ao mesmo tempo, da diferença. Nesse procedimento, o modernismo sul-americano apropriava-se do melhor da cultura ocidental contra ela mesma, a partir de sua situação ambivalente, reivindicando sua universalidade. Antelo propõe que se pense essa lógica também inversamente, não só como afirmação de universalidade, mas como construção constante da diferença. Assim analisa a obra de Borges, cujo procedimento criativo é sempre o da destruição do referencial de origem, produzindo um deslocamento do modelo. A partir desse autor, o texto traça uma genealogia da teoria da modernidade como destruição produtiva, encontrando-a, ao final do percurso, em Walter Benjamin, que a havia elaborado, por sua vez, a partir de referências cruzadas de autores sul-americanos.

Revert to English synopsis
Annotations

In this lecture, Professor Raúl Antelo outlines a historical review of the Americas. He gave this lecture at the Columbia University Hispanic Institute in New York on April 19, 2006. Antelo’s thesis reveals the influence of the Latin American “non-place” theory endorsed by Silviano Santiago (1971), the discussions on the idea of “anthropophagy” as an intellectual matrix for Latin Americans (more specifically South Americans), and a meticulous and unusual reading of the German philosopher Walter Benjamin. Antelo refers to the readings that influenced Benjamin in his development of the idea of a “destructive character,” which leads us indirectly to the work of Borges, thereby identifying Borges’ contribution to the creation of a concept of modernity as a process of “productive destruction.” In this process, what is new arises from the destruction that reshapes existing tradition.     

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Na conferência, apresentada pelo autor em 19 de abril de 2006 no Hispanic Institute da Universidade de Columbia, Nova York, pode-se notar a influência da teoria do "não-lugar" latino-americano, de Silviano Santiago, das reflexões a respeito da antropofagia como matriz intelectual latino-americana, mais especificamente sul-americana, além de uma leitura minuciosa e inusitada do filósofo alemão Walter Benjamin. Antelo reconstrói a série de leituras que influenciaram Benjamin na elaboração da noção de "caráter destrutivo". Esse percurso aporta, indiretamente, na obra de Borges. Assim, identifica a contribuição desse autor para a construção de uma noção de modernidade como um processo de destruição produtiva, em que o "novo" surge da destruição da tradição pré-existente.

Ver também:
SANTIAGO, Silviano. O entre-lugar do discurso latino-americano, 1971

a- Revisão da história da arte a partir de uma perspectiva continental

Revert to English annotations
Researcher
José Augusto Ribeiro, Fernanda Pitta
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
Reproduced with permission of the author, Brazil
Location
Acervo Projeto "Arte no Brasil; textos críticos do séc. XX"