Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    807556
    AUTHOR
    Glauber Rocha
    TITLE
    Uma estética da fome
    IMPRINT
    Rio de Janeiro, Brasil : [s.n.], jul. 1965
    TYPE AND GENRE
    Journal article – Manifestoes
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    ROCHA, G. Uma estética da fome. Revista Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, n.3, p.165-170, jul. 1965.
    GEOGRAPHIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

Cinema Novo director Glauber Rocha forcefully presents this article about “hunger” as the “nerve” of Latin American society. The fact of its strong sentiment makes it seem less inevitable. In Europe, cultural work that emerges from the underdeveloped world is only interesting when it responds to people’s “nostalgia for primitivism” in the midst of a “beautified” context that keeps the colonized well away from the colonizer. The originality of the Cinema Novo movement led by Glauber lay in moving hunger away from being a simple thematic fact. Instead, it turned hunger into a violent aesthetic that developed based on featuring misery and an awareness of it. Since it was “marginal” with respect to the film industry, in order to achieve full economic integration, Cinema Novo depended on the liberation of Latin America from the cultural oppression of the central countries. This was the “moral cause” of the participants in this film trend launched in Brazil.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Artigo contundente em que o cineasta afirma ser a fome o "nervo" da sociedade latino-americana, que, por senti-la, não a "compreende". Também a Europa não compreende a América Latina, uma vez que a produção artística do mundo subdesenvolvido só interessa ao observador europeu quando o satisfaz em sua "nostalgia de primitivismo", no interior de uma relação "aprimorada" entre colonizador e colonizado. A originalidade do movimento Cinema Novo frente à cinematografia mundial residiria também na fome, não como mero dado temático, mas na constituição de uma estética violenta que se realiza no "miserabilismo" e na consciência desta condição. "Marginal" em relação à indústria cinematográfica, o Cinema Novo dependia, para sua integração econômica, da libertação da América Latina dos jugos dos países centrais. Esta inclusive seria uma causa, uma "questão de moral", dos cineastas ligados ao movimento.

Revert to English synopsis
Annotations

During the debates about the Latin American Film Review (held in Genoa, Italy, in 1965), Glauber Rocha presented this lecture whose guidelines were set by the theme of the meeting: “Europe’s paternalism toward the Third World.” In his presentation, Rocha points out the concept of a “revolutionary art” independent of the “generalized commercialism” and production models imposed by a film industry that controls film culture. The artist regards underdevelopment as a primary factor in any artistic endeavor, in open opposition to “the prevalence of technique.” Written one year after making the famous film Deus e o diabo na terra do sol [English title: White God, Black Devil] in 1964, this text came to strengthen both the political and the aesthetic foundations of Cinema Novo. This was a movement that was launched at the same time as—perhaps provoked by—the military coup whose leaders took over Brazil for two decades (1964–85). It arose in open opposition to the feature films produced by the Vera Cruz Studios (in São Paulo) popularly known as “pornochanchadas” [soft porn comedies].  

 

[As supplementary reading, see the ICAA digital archive for other texts by the writer: “MAMB não é museu: é escola e ‘movimento’ por uma arte que não seja desligada do homem” (doc. no. 1110859) and “Nordeste” (doc. no. 1111194)].

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Conferência apresentada durante os debates da Resenha do Cinema Latino-Americano de Gênova, na Itália, em 1965, com pauta definida pelo tema "O paternalismo do europeu em relação ao Terceiro Mundo". Em sua apresentação, o cineasta Glauber Rocha enuncia o conceito de uma arte revolucionária, independente do "comercialismo" e de modelos de produção impostos pela indústria cinematográfica. O subdesenvolvimento passa a ser visto, aqui, como fator constituinte da realização artística, em contraposição ao tecnicismo. Escrito um ano depois da realização de "Deus e o diabo na terra do sol", o texto consolida as bases políticas e estéticas do Cinema Novo, movimento que, no contexto brasileiro, se opunha às grandes produções do estúdio Vera Cruz, às chanchadas e mesmo ao que Glauber chama de drama "pequeno-burguês" de um Sérgio Person.

 

a- Imagens poéticas do latino-americanismo

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: José Augusto Ribeiro
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Biblioteca do Instituto de Estudo Brasileiros - USP