Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
Synopsis

This essay was included in the catalogue for the Exposição de Pintura Brasileira held in London in 1944. Organized by the critic Rubén Navarra, the show presented a broad selection of Brazilian paintings that covered the transition from the 1930s to the 1940s. The text points out specific characteristics of the work done by artists such as Heitor dos Prazeres, Alberto da Veiga Guignard, Lasar Segall, and Candido Portinari. In the writer’s opinion, “These paintings are unquestionable evidence of a Brazilian ‘atmosphere.’ There is something here that speaks of the land, people, tradition, and social scene, as well as the tropical luminosity and color. This gives us every right to postulate the existence of ‘Brazilian painting.’”

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Ensaio escrito para o catálogo da Exposição de Pintura Brasileira em Londres, Inglaterra, em 1944, organizada pelo crítico de arte paraibano e radicado no Rio de Janeiro Ruben Navarra. A mostra compreende amplo painel da produção pictórica do país na virada da década de 1930 para a de 1940, a fim de apontar as especificidades de artistas como Heitor dos Prazeres, Alberto da Veiga Guignard, Lasar Segall e Candido Portinari, entre outros. Diz o autor: "A existência incontestável de uma 'atmosfera brasileira' em nossa pintura moderna - algo que fala da terra, do povo, da tradição humana, do cenário social, das luzes e das cores dos trópicos - isto já nos dá direito a considerar a existência de uma 'pintura brasileira'".

Revert to English synopsis
Annotations

Born in the state of Paraíba and based in Rio de Janeiro, the art critic Rubén Navarra recommends that the polarization of “the national” and “the international” be stopped, since in art, the two types of work are complementary. In his opinion, nonacademic painting in Brazil has opened up a lyrical perspective on what is regional, leading us to classify some specific traits of this art as if it were intrinsic to a certain region. Many works created since the Semana de Arte Moderno of 1922 (in São Paulo) can be described as pertaining to a kind of “São Paulo Impressionism.” Such works can only strengthen “the taste” for landscapes expressed by the Grupo Santa Helena (Francisco Rebolo, Aldo Bonadei, Alfredo Volpi, and Mário Zanini). Navarra believes that Lasar Segall represents the qualities of São Paulo painting, leaving Candido Portinari as the prototypical Rio de Janeiro artist. In Northeast Brazil, the outstanding artists are Vicente do Rego Monteiro and Cícero Dias, while the “Afro-Brazilian spirit” is reflected by Luiz Santos and Heitor dos Prazeres. Cosmopolitan art, then “finds a home in the ‘School of São Paulo.’” Navarra places what is universal and human in São Paulo, leaving what is regional and picturesque for Rio de Janeiro, Bahia, Recife, and the Amazon state of Pará.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

O crítico de arte Rubem Navarra defende o fim da polarização entre perspectivas nacionalistas e internacionalistas sobre arte, por estas serem "complementares" e, ao mesmo tempo,  afirma que a pintura moderna, ou antiacadêmica, inaugura no Brasil um interesse pela "contemplação amorosamente lírica do nosso mundo regional". Em seguida, o autor classifica a produção artística no Brasil segundo características específicas e determinadas por regiões ou Estados do país.
Assim, referindo-se à produção posterior à Semana de 1922 - que ele chama de pintura "post-modernista"-, o autor descreve a existência de um "impressionismo paulista" que, na verdade, significa o "gosto" pela pintura de paisagem cultivado por pintores de São Paulo, como Francisco Rebolo, Aldo Bonadei, Alfredo Volpi e Mário Zanini. Para o autor, Lasar Segall quem representa as qualidades de uma pintura paulista, assim como Candido Portinari é o representante da pintura carioca. O autor destaca ainda a atuação de Vicente do Rego Monteiro e de Cícero Dias no Nordeste do país. Identifica um "espírito afro-brasileiro" nas pinturas de Luiz Santos e Heitor dos Prazeres e um sentido cosmopolita que "se refugiou na Escola de São Paulo". Nas palavras de Navarra: "O futuro da arte brasileira será dominado por um intercurso e um enriquecimento resultante do encontro desses dois elementos: o universal e humano (cujo centro característico é São Paulo) e o regional e pitoresco", localizado no Rio de Janeiro, na Bahia, no Recife, no Pará.

 

Ver também:

Família Artística Paulista

 

b- Busca, construção e expressão de aspectos locais

b- Circulação de artistas, intelectuais e obras entre Brasil, Europa e EUA

b- Experiencia regional e renovação artística

b- Nacional e universal

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: José Augusto Ribeiro
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Biblioteca do Instituto de Estudos Brasileiros - USP