Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
Editorial Categories [?]
Synopsis

 

The synopsis in English are coming soon.

 

Leia esta sinopse em português
Synopsis

O crítico Marcio Doctors analisa a obra do pintor Eduardo Sued, para quem a geometria é, a um só tempo, a tradução do espaço indizível das coisas e um ponto de chegada, não de partida. "Sued descobre para si uma posição insular na tradição construtiva brasileira. Inteligentemente inverte o código da geometria e restabelece, a partir do código da cor, uma geometria de fuga. Isto é, em vez de construir, desconstrói. Suas linhas e planos não objetivam a materialidade possível do espaço, ao contrário [...], correm atrás do espaço que se esvai" . A presença da cor é assinalada pelo crítico como o elemento gerador de dissolução da geometria, concluindo que Sued "executa uma pintura fenomenológica, metafísica".

Revert to English synopsis
Annotations

The annotations in English are coming soon.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Márcio Doctors é crítico de arte e curador independente. Foi secretário de Mário Pedrosa, crítico do jornal "O Globo" e atualmente é curador da Fundação Eva Klabin Rapaport. Eduardo Sued inicia sua carreira nos anos 50; contudo, é a partir de suas pinturas realizadas desde o final dos anos 1970, em que se sobressaem a cor e a estrutura na organização de uma superfície rigorosamente plana, que o artista ganha o reconhecimento definitivo no país.

 

Ver também:

BRITO, Ronaldo. Possibilidades da pintura: dois exemplos. Gávea, n.2, 1985.

 

g- Herança construtiva e construções sem utopia

n- Especificidade da atuação artística. Explorando a dimensão reflexiva dos próprios meios.

Revert to English annotations
Researcher
Guilherme Bueno
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
© 2014 archives Claudia Bakker & Marcio Doctors
Location
Serviço de Biblioteca e Documentação ECA/USP