Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111235
    AUTHOR
    Omar, Arthur
    TITLE
    O antidocumentário, provisoriamente / Arthur Omar
    IN
    Revista de Cultura Vozes (Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil). -- Vol. 72, no. 6 (1978)
    DESCRIPTION
    p. 5- 18
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Journal article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Omar, Arthur. "O antidocumentário, provisoriamente." Revista de Cultura Vozes (Petrópolis, Rio de Janeiro, Brazil), vol. 72, no. 6 (1978): 5-18.
    TOPIC DESCRIPTORS
    documentaries; film (material)
    NAME DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

In this essay, filmmaker Arthur Omar makes the argument that documentaries, although dependent on fictional cinematography, are commercially produced and are generally geared toward the masses. Between the experimental avant-garde and the progressive political right documentary, Omar proposes the anti-documentary, one capable of introducing a broad subject matter to the viewer. His experimental film Congo relied on such a linguistic concept in order to frustrate public expectations. Additionally, he comments that the “entertainment” function of the documentary, combined with the nostalgic feeling toward the “possessed,” are similarly illustrated in Farkas’ documentaries on popular culture. “Brazilian culture” is a notion that is discussed and denied as a given content or already planned or projected a priori, and least of all as a reality that should be though upon or printed in any specific way or form. In his opinion, films are, first of all, creations that are a cultural manifestation in response to the development itself of Brazilian culture. The fundamental point, in his opinion, is questioning the meaning of film within reality.   

Leia esta sinopse em português
Synopsis

O cineasta Arthur Omar desenvolve argumento sobre o documentário, considerando sua dependência do cinema de ficção, voltado ao espetáculo público e comercial. Entre as posições de uma direita progressista e uma vanguarda radical que inverte seus artifícios, propõe um antidocumentário, que se relacione com o tema de modo fluido, aberto ao espectador. Fala sobre seu filme-experimento" Congo", e sobre o uso da linguagem e do conceito para frustrar expectativas do público. Por outro lado, comenta a função espetáculo do documentário e a sensação de nostalgia por algo que não se possui, citando o exemplo dos documentários de Farkas sobre a cultura popular. Discute a noção de cultura brasileira, negando que seja um conteúdo dado ou projetado a priori, realidade passível de ser refletida e contida numa forma. Para Arthur Omar, o filme é, antes de mais nada, obra, manifestação cultural, resposta. ao próprio processo da cultura brasileira. Cabe questionar o que significa o cinema dentro da realidade.

Revert to English synopsis
Annotations

This essay states the position taken by the filmmaker Arthur Omar in relation to documentaries and their treatment of popular culture. It unquestionably contributes to the understanding of his work both in relation to photograpfy and film. His contribution reveals the linkage woven in Brazil between the visual and the audiovisual arts. His work began gaining international recognition with his film Tristes Trópicos (1974), and later on with the series Antropologia da Face Gloriosa that was shown during the twenty-fourth Bienal de São Paulo (1998). He is also the author of the 1987 video Nervo de Prata about the work by Tunga.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

O documento marca tomada de posição de Arthur Omar em relação ao filme documentário e ao tratamento da cultura popular, que será relevante para a compreensão de sua obra fotográfica e áudio visual. Arthur Omar oferece contribuição significativa que revela a relação entre artes plásticas e áudio visuais no Brasil. Desde o filme Tristes Trópicos de 1974, até a série Antropologia da Face Gloriosa, mostrada na 24ª Bienal e São Paulo, em 1998, sua obra ganhou reconhecimento internacional. É autor do vídeo Nervo de Prata, sobre o artista Tunga (1952–2016), realizado em 1987.

 

l- Cinema

l- Experimentação com meios técnicos de produção de imagens audio visuais. Foto. Filme. Videoarte. Videoinstalação. Multimeios

Revert to English annotations
Researcher
Marco Andrade
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Biblioteca da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - FFLCH/USP