Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
Editorial Categories [?]
Synopsis

As this interview by Rodrigo Naves with Raquel Arnaud explains, Arnaud first got involved with the Brazilian art scene at the Museu de Arte de São Paulo (MASP) between 1968 and 1971, under the guidance of the museum’s founder and director, Pietro Maria Bardi. In the seventies, while working at Colletio gallery, she was in close contact with artists of the stature of Willys de Castro, Hércules Barsotti, and Tuneu. Later, along with Mônica Figueiras, she opened Gabinete de Artes Gráficas, for which she would become well known. That experience, as well as her work early on as a consultant for Arte Global, strengthened her ties to constructivist artists (many of whom she eventually represented), chief among them sculptors Amílcar de Castro and Sérgio Camargo. Arnaud speaks at length of the excellent artists with whom she worked and the works of their authorship she was able to place in major collections and to exhibit in public spaces. She explains that she not only produced the gallery’s publications, but also gathered resources for other projects.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Rodrigo Naves entrevista a galerista Raquel Arnaud, cuja atividade no meio artístico teve inicio no Museu de Arte de São Paulo, de 1968 a 1971, sob a orientação do diretor Pietro Maria Bardi. Nos anos 1970, Arnaud iria trabalhar na Colletio, aproximando-se dos artistas Willys de Castro, Hércules Barsotti e Tuneu, e abrindo o Gabinete de Artes Gráficas, com Mônica Filgueiras. No mesmo período é contratada pela Arte Global. Nessas duas últimas experiencias de trabalho irão se fortalecer os laços com artistas de orientação construtiva, que passaria a representar, tais como Amílcar de Castro e Sergio Camargo. Arnaud discorre sobre sua relação com artistas de qualidade, o propósito de colocar obras em acervos e realizar exposições em espaços públicos, sobre a divulgação da arte através de publicações da galeria, além de atuar muitas vezes como produtor, na captação de recursos.

Revert to English synopsis
Annotations

This text is the introduction to the book Raquel Arnaud e o Olhar Contemporâneo. In it, critic Rodrigo Naves asserts that gallerist Raquel Arnaud’s career is inseparable from the period when, in both the public and private spheres, Brazilian art underwent diversification and professionalization. In other words, during that period the realm of artistic production became more coherent. There is widespread disdain in Brazil for art dealing; the profession is associated with unbridled ambition and with the negative effects that the market can have on art. For Naves, Arnaud’s work was fundamental to the local art scene, including art criticism, in the seventies, when that scene was still lacking coherence. At present, Raquel Arnaud is not only the director of Gabinete de Arte Raquel Arnaud, but also the president of the Instituto de Arte Contemporânea (IAC), associated with the Centro Universitário Maria Antônia at the Universidade de São Paulo.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

No texto de apresentação do livro Raquel Arnaud e o Olhar Contemporâneo, o crítico Rodrigo Naves afirma que o percursoa de Arnaud se confunde com o período em que o meio artístico brasileiro se diversificou e profissionalizou, tanto no âmbito público como no privado. A produção artística ganhava consistência. A profissão de marchand no Brasil é muitas vezes mal vista, pois no país a ambição sem limites leva a atividade comercial a ser vista como algo negativo. Para Naves, a atuação de Arnaud foi fundamental para o meio artístico local, inclusive para o trabalho dos críticos numa cena artística ainda inconsistente dos anos 1970. Hoje, além de dirigir o Gabinete de Arte Raquel Arnaud, a galerista é ainda presidente do Instituto de Arte Contemporânea - IAC, em associação com o Centro Universitário Maria Antonia da Universidade de São Paulo.

 

Ver também:

LAGNADO, Lisette. Entrevista: Thomas Cohn. Em: Galeria. São Paulo, Área, 1993, n.8;
LAGNADO, Lisette. Entrevista: Fernando Millan. Em: Galeria. São Paulo, Área, 1988, n.12.

 

m- Novo formato do empreendimento artístico e agenciamentos da sociedade de mercado

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Ana Cândida Avelar
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
Reproduced with permission of Rodrigo Figueira Naves, São Paulo, Brasil
Location
Instituto de Arte Contemporânea