Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111217
    TITLE
    Os novos museus
    IMPRINT
    São Paulo, Brasil : Cebrap, out. 1991
    DESCRIPTION
    9p.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Journal article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    ARANTES, Otília Beatriz Fiori. Os novos museus. Novos Estudos Cebrap, São Paulo: CEBRAP, v.1, n.31, p.161-169, out. 1991.
    TOPIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

Looking to her background in philosophy, Otília Arantes analyzes the transformations that have ensued in the relationship between the viewer and the work of art. Structural changes in museums, she argues, have given rise to “new museums” envisioned as centers of consumerism. Arantes’s thinking is based on Theodor W. Adorno’s dialectical vision of museums as entities that reflect the ambiguity of modern art and of its relationship to viewers. Adorno observes that the neutral museum space encourages beholding art as an individual experience. In his thinking on film—Arantes adds—Walter Benjamin has blind faith in the idea that collective reception of a mechanically reproduced work of art will lead to knowledge. In her view, though, just the opposite is the case: the masses’ appreciation of the work of art is superficial; they envision it as just another consumer good. 

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Otília Arantes analisa as transformações da relação entre espectador e obra de arte, a partir da mudança de estrutura dos museus que teria originado os "novos museus". Estes se propõem enquanto locais de consumo. Arantes pensa o museu moderno a partir de Theodor Adorno que, segundo ela, entenderia que os museus refletem as ambigüidades da própria arte moderna e da relação entre ela e o público. Para ele, o espaço neutro do museu favoreceria a contemplação da obra enquanto experiência individual. A autora lembra também as idéias de Walter Benjamin, que, pensando no cinema, entendia que a recepção coletiva da obra reproduzida tecnicamente poderia incentivar o processo de conhecimento; segundo Arantes, o que acontece atualmente é o contrário: a apreciação da obra de arte pela massa é superficial e se dá numa relação com um bem de consumo.

Revert to English synopsis
Annotations

For researcher Otília Arantes, modern museums—a topic discussed by German philosopher Theodor W. Adorno—have quickly given way to “new museums” that are, architecturally, akin to shopping malls. Adorno does not advocate opposing that new sort of museology outright since it is simply an accurate reflection of the contradictions part and parcel of modern art and its viewers. The act of contemplating a work of art—which viewers of modern art still do—seems today like a luxury since, in its structure, the pace of museums is like the pace of postmodern consumerism. If the work of art was once neutralized by the museum structure, the heterogeneity of urban life is what is now, in Arantes’s view, “homogenized,” sheltered from the extreme ups-and-downs of contemporary society.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Segundo a filósofa Otília Arantes, os museus modernos, discutidos por Adorno, teriam perdido espaço em pouco tempo para os novos museus - estes, espaços de recreação coroados por uma arquitetura que se assemelha às de shoppings centers. Entretanto, para o filósofo da Escola de Frankfurt, não seria o caso de fechar os museus, pois refletem as ambigüidades da própria arte moderna e da relação entre ela e o público. A própria atitude de contemplação diante da obra, característica ainda presente no museu moderno, passa hoje a ser vista como afetação dentro da estrutura de templo de consumo do museu pós-moderno. Se antes a obra de arte era neutralizada pela estrutura museológica, atualmente, para Arantes, é a própria heterogeneidade da vida na cidade que lá aparece de forma homogênea, sem demonstrar os ruídos presentes na sociedade contemporânea.

 

Ver também:

ARANTES, O. B. F. Arte depois das vanguardas, Arte em Revista, Ano 5,  n.7, ago. 1983.
ARANTES, ARANTES, O. B. F. Os dois lados da arquitetura francesa pós-Beaubourg. Revista Novos    Estudos. CEBRAP. N. 22, outubro 1998.

 

m- Novo formato do empreendimento artístico e agenciamentos da sociedade de mercado

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Ana Cândida Avelar
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Biblioteca da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo