Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111132
    AUTHOR
    Menezes, Philadelpho, 1960-
    TITLE
    Poesia visual : reciclagem e inovação / Philadelpho Menezes
    IN
    Imagens (Campinas, SP, Brasil) --- No. 6 (jan./ abr. 1996)
    DESCRIPTION
    p. 39 - 48 : ill.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Journal article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Menezes, Philadelpho. "Poesia visual: reciclagem e inovação." Imagens (Campinas, SP, Brazil), no. 6 (January/ April 1996): 39- 48.
Synopsis

In this essay, the Brazilian poet Philadelpho Menezes pinpoints the origins of visual poetry, coining an expression to classify its forms, “intersign poetry.” He observes that visual poetry is not a synonym for “Concrete poetry,” even if that confusion is quite common. To the writer, visual poetry has existed since Ancient Greece in the practice of figurative poems, poems whose appearance is a graphic form made of words. Making use of semiotic tools, Philadelpho establishes the term “intersign poetry” for poems whose visual appearance represents a graphic form of the words. The essential nature of these poetics is revealed in a specific conjunction—text, word or letter with photograph, illustration or drawing—and is given by the visual plan of those signs. Thus, it is the visual component of the verbal/visual combination that provides the way these elements will formally intersect on the page. It is as if each of these poems generates its own syntax starting from the visual configuration of the constituent elements.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Neste ensaio, Philadelpho Menezes situa as origens da poesia visual e propõe uma classificação das suas formas, além de criar a expressão poesia intersignos. O autor observa que a poesia visual não é sinônimo de poesia concreta embora essa confusão seja comum. Menezes aponta a existência de poesia visual desde a Grécia Antiga, quando era praticado o poema figurativo, ou seja, o poema em que a visualidade está na forma gráfica da palavra. Usando ferramentas da semiótica, Philadelpho estabelece a denominação de poesia intersignos para os poemas em que a visualidade está em formas gráficas integradas à palavra. O fundamental dessa poética é que a conjunção de texto, palavra ou letra com foto, ilustração ou desenho se dá pela programação visual desses signos. Assim, a matéria plástica dos elementos visuais e verbais forneceriam o modo de seu cruzamento formal na página. Seria como se cada poema criasse sua sintaxe a partir da configuração plástica de seus elementos constituintes.

Revert to English synopsis
Annotations

Philadelpho Menezes (1960–2000) was a poet, essayist, translator, theoretician and professor. He was in the vanguard of the experimental poetry movement that developed throughout Brazil starting in the 1950s. He grouped poets and innovative genres of poetry into exhibitions such as Poesia Intersignos (Centro Cultural São Paulo, 1985). Another exhibition he organized for CCSP was the 1ª Mostra Internacional de Poesia Visual of São Paulo (1988), with the participation of more than 300 poets from almost 40 countries. In 1997, he organized the special room “Poesía Sonora” as a part of the event Arte Tecnologia (Itaú Cultural, São Paulo), and in 1998, he was a curator of the event Intersignos, do impresso ao sonoro e ao digital (Paço das Artes, São Paulo). In his own poetry, he made use of nonverbal elements to structure what he coined as “intersign poetry.” He earned his master’s degree and his PhD at Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), with postdoctoral research at the University of Bologna (Italy). As an instructor, he taught courses at the postgraduate level in communications and semiotics at the PUC/SP. Among the several books he published in his specialty are Poética e Visualidade - Uma Trajetória da Poesia Brasileira Contemporânea (Campinas: Editora da UNICamp, 1991).

 

Regarding the Brazilian experimental poetry movement of the 1980s—period when Menezes began to publish his work—there is an essay by the Spanish artist/designer based in Brazil, Julio Plaza, who curated the 17th International Biennial of São Paulo (1983), written under the title “Arte e videotexto”.
Leia este comentário crítico em português
Annotations

Philadelpho Menezes (1960-2000) foi poeta, ensaísta, tradutor, teórico e professor. Esteve na vanguarda do movimento poético experimental no Brasil. Agrupou poetas e gêneros novos da poesia em mostras como "Poesia Intersignos" (Centro Cultural São Paulo,1985). Em 1988, também para o CCSP, organizou a 1ª Mostra Internacional de Poesia Visual de São Paulo (1988), com a participação de mais de 300 poetas de quase 40 países. Em 1997, organizou a sala especial Poesia Sonora do evento "Arte Tecnologia" (Itaú Cultural, São Paulo) e, em 1998, foi curador do evento "Intersignos, do impresso ao sonoro e ao digital" (Paço das Artes, São Paulo). Em sua produção poética, utilizava elementos não-verbais para construir o que denominou de poesia intersignos. Mestre e doutor em comunicação e semiótica pela PUC/SP, com pesquisa de doutoramento na Universidade de Bolonha (Itália), foi professor do programa de pós-graduação em Comunicação e Semiótica da PUC/SP. Entre os vários livros que publicou está "Poética e Visualidade - Uma Trajetória da Poesia Brasileira Contemporânea" (Ed. Unicamp, Campinas,1991).

 

Ver também:

PLAZA, Julio. Arte e videotexto. In: Catálogo da 17ª Bienal Internacional de São Paulo, 1983.

 

k- Poéticas Visuais (visual e literal)   ver tb C

Revert to English annotations
Researcher
Angelica de Moraes
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
Reproduzido com o consetimento de Ana Aly, São Paulo, BR
Location
Serviço de Biblioteca e Documentação ECA/USP