Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111120
    AUTHOR
    Domingues, Diana
    TITLE
    As fronteiras dos territórios digitais / Diana Domingues
    NOTES
    Texto na internet.
    IMPRINT
    Campinas, SP, Brasil : Unicamp, 1997
    DESCRIPTION
    11p.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    página da internet – trabalho de evento
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    DOMINGUES, Diana. As fronteiras dos territórios digitais. Campinas, SP: Unicamp, 1997. Consultado em: Imagem e Cultura Eletrônica. Seminário A Arte na Condição Contemporânea. http://artecno.ucs.br/livros_textos/textos_site_artecno/7_outras_publicacoes/palestra_unicamp_1997_port.rtf. Acesso em 26 fev. 2009.
    TOPIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

Diana Domingues explains that by not lending itself to contemplation, technology consigns all brushes, paints, paper, and canvas to museums. At the dawn of the twenty-first century, in our internet era, the advent of the audiovisual culture of the pre-technical, technical, and electronic era (television, video, and electronic music), and the rise of digital culture, what has changed is access and the ability to transmit and modify information in real time. Domingues suggests that machines will learn to feel on our behalf, making us feel different from them. In that scenario, we would be in a posthuman, postbiological period in which we let technology deal with life as part of a worldview enhanced by a connection to machines. Domingues, quoting Roy Ascott, writes about a new civilization that replaces old nomadic mankind with tele-passers-by (or telemadic) who wander in a network controlled by a circulatory mind imbued with global awareness. In her positivist utopianism, Domingues firmly believes that computers will [eventually] have man’s ability to think.  

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Diana Domingues sustenta que a arte tecnológica não se prestaria à contemplação e colocaria para sempre no museu pincéis, tintas, papel e telas. Ela diz que, no limiar do século XXI e em plena cibercultura, o que se modifica em relação à cultura audiovisual da era pré-técnica, técnica e eletrônica (TV, vídeo e música eletrônica) para a cultura digital é o acesso. Ou seja, a capacidade de se penetrar e de modificar informações em tempo real. A autora afirma que cada vez mais as máquinas sentem em nosso lugar e nós sentimos diferente com elas. Estaríamos na era pós-humana ou pós-biológica, com a vida estendida pelas tecnologias e com a percepção de mundo ampliada pela conexão com máquinas. Citando Roy Ascott, Domingues fala de uma nova civilização que substituiria o velho homem nômade (ou nomadic) por um telemadic, um ser que erra no espaço das redes e onde as mentes circulam e ganham uma consciência global. Com as tecnologias computadorizadas, o homem entregaria cada vez mais às máquinas sua capacidade de pensar.

Revert to English synopsis
Annotations

The artist Diana Domingues (b. 1947) has evaluated theories and research concerning cyber art and communication, immersive, interactive and autonomous environments, software art, and mobile interfaces. She is currently on the faculty at the Universidade de Caxias do Sul (state of Rio Grande do Sul). She has authored and edited books on the subject mentioned above, such as Criação e Poéticas Digitais (São Paulo: Educs, 2005); Arte e Vida no Século XXI: Tecnologia, ciência e criatividade (São Paulo: Unesp, 2003); Criação e Interatividade na Ciberarte (São Paulo: Experimento, 2002); and A Arte no Século XXI: a humanização das tecnologias (São Paulo: Unesp, 1997). Her articles have been published in Brazil and elsewhere, and in the technical magazines like Leonardo and Digital Creativity.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Diana Domingues é teórica e artista com pesquisas em ciberarte e cibercomunicação, ambientes interativos, imersivos, software art, interfaces móveis e ambientes autônomos. Atualmente é professora titular da Universidade de Caxias do Sul. Autora e organizadora de livros como "Criação e Poéticas Digitais" (Educs, 2005), "Arte e Vida no Século XXI: Tecnologia, ciência e criatividade" (Unesp, 2003), "Criação e Interatividade na Ciberarte" (Experimento, 2002), "A Arte no Século XXI: a humanização das tecnologias" (Unesp, 1997). Tem textos publicados no Brasil e no exterior, entre eles nas revistas "Leonardo" e "Digital Creativity".

 

l- Arte e tecnologia digital. Poéticas digitais

l- Formação de nova rede institucional e suas estratégias

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Angelica de Moraes
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Imagem e Cultura Eletrônica. Seminário A Arte na Condição Contemporânea: http://artecno.ucs.br/livros_textos/textos_site_artecno/7_outras_publicacoes/palestra_unicamp_1997_port.rtf