Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111112
    TITLE
    A experiência do vídeo no Brasil
    IN
    Máquina e imaginário: o desafio das poéticas tecnológicas. -- São Paulo : Editora Unesp Fundação, 1993.
    DESCRIPTION
    p. 253-274
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Machado, Arlindo. "A experiência do vídeo no Brasil." In Máquina e imaginário: o desafio das poéticas tecnológicas, 253-274. São Paulo: Editora Unesp Fundação, 1993.
    GEOGRAPHIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

This essay is a brief history of how independent video developed in Brazil. Arlindo Machado highlights the role played by the renewal of open-signal television language. He notes that video emerged in the 1980s, at a time when Brazilian experimental cinema was in decline due to the high cost of production, and magnetic tape became a more viable option. Television language replaced the cinematographic point of reference for Brazilian video makers, though not in the large commercial TV networks. Machado thought that these videos experimented with the potential of electronic language, exploring social issues and thus playing an avant-garde role. Local broadcasters, such as the TV Gazeta de São Paulo, were the initial springboard for video makers. Machado mentions the original authors of this trend in Brazil, such as the group TVDO (that translated Glauber Rocha’s archaic style), Tadeu Jungle, Walter Silveira, and Marcelo Tas, among many others.


Leia esta sinopse em português
Synopsis

Arlindo Machado historia o desenvolvimento do vídeo independente no Brasil e o papel que exerceram na renovação de linguagem na televisão de sinal aberto assim como na capacidade de criar estruturas de produção alternativas às grandes redes televisivas. Observa que o vídeo independente surgiu nos anos 1980, quando o cinema brasileiro de invenção estava em declínio. A prática alternativa de cinema, pelos altos custos de produção envolvidos, era inviável. A fita magnética das câmaras de vídeo era mais acessível e havia maior versatilidade na mídia eletrônica. A linguagem televisiva como referencial de linguagem teria substituído o referencial do cinema para essa geração de jovens videomakers brasileiros. Mas essa televisão ousada e criativa teria, em sua maior parte, permanecido ausente das grandes redes de televisão comercial, que ignoraria essa produção embora ela se prestasse de forma perfeita à tela pequena e usasse os recursos eletrônicos de estúdio. Esses videos, segundo Machado, teriam avançado na experimentação das possibilidades da linguagem eletrônica, dando ressonância aos problemas sociais e cumprindo uma função de vanguarda. Machado lembra a importância de pequenas emissoras locais, como a paulistana TV Gazeta, como trampolim inicial de grande parte dos videomakers. Cita e comenta o trabalho de diversos autores do período, como o grupo TVDO (que seria a melhor tradução do estilo anárquico de Glauber Rocha), Tadeu Jungle, Walter Silveira, Marcelo Tas e muitos outros nomes de destaque no período.

Revert to English synopsis
Annotations

Arlindo Machado’s book A ilusão especular[AB1] , was the thesis he wrote for the master’s degree in Communication and Semiotics he earned at the Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Published in 1984, it was hugely influential in photography and visual art circles. At the time, the author contributed a column to the newspaper Folha de S. Paulo, where he wrote about photography, film, and mass communication, becoming one of the leading theorists on photography in Brazil, along with Stefania Brill who wrote for the magazine Íris. The following year Vilém Flusser published Filosofia da Caixa Preta[AB2] , which was reviewed by Machado and Brill. Also in 1985, Machado and Julio Plaza co-curated the exhibition “Arte e tecnologia” at the Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo under the auspices of the dynamic Walter Zanini, the museum’s director. The event made Machado one of the most respected theorists on the subject in Brazil.

 

[As complementary reading see the ICAA digital archive for the following texts on art and technology by Walter Zanini: “Primeiros tempos da arte / tecnologia no Brasil” (doc. no. 1111029), and “Vídeo-arte: uma poética aberta” (doc. no. 1110892). Arlindo Machado also wrote extensively on this subject in texts such as “Hipermídia: o labirinto como metáfora” (doc. no. 1111111), “As formas migrantes de Diana Domingues” (doc. no. 1111229), “O mito da alta definição” (doc. no. 1111113), and “Perspectivas do vídeo no Brasil” (doc. no. 1111114)].




 

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Arlindo Machado é um dos principais teóricos e historiadores da arte tecnológica ou eletrônica em atividade no Brasil. Professor do Depto. de Cinema, Rádio e Televisão da ECA-USP, tem extensa produção científica e vários livros sobre o tema. Exerce também atividades de curadoria, tendo organizado mostras como "A Arte do Vídeo no Brasil" (MAM-RJ, 1997) e "Brazilian Video" (Washington, EUA).

 

l- Arte e tecnologia digital. Poéticas digitais

l- Experimentação com meios técnicos de produção de imagens audio visuais. Foto. Filme. Videoarte. Videoinstalação. Multimeios

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Angelica de Moraes
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Serviço de Biblioteca e Documentação ECA/USP