Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111102
    TITLE
    Rumo à imagem sintética / Arlindo Machado
    IN
    Folha de S. Paulo (São Paulo, Brasil). -- Out. 12, 1986
    DESCRIPTION
    p. 2- 3 : ill.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Newspaper article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Machado, Arlindo. "Rumo à imagem sintética." Folha de S. Paulo (São Paulo, Brazil), October 12, 1986, 2-3.
Editorial Categories [?]
Synopsis

In this article, the author claims that the emergence of video art prompted a reversal of figurative expectations in the field of technical images. Heavily influenced by a Renaissance approach to visual expression (based on a monocular geometric perspective), this field or system broke down in 1963 when the Korean-American artist Nam June Paik inverted the circuits of a television set to produce a disruption of the created image. Paik’s Distorted TV Sets were the first non-figurative television images to be synthesized by electronically processing the flow of particles through an iconoscope without the use of a camera (this latter feature was of far greater interest). In 1969, Paik invented the video image synthesizer, which in addition to distorting Renaissance figures created by a camera, could also generate unprecedented images. A keyboard created an instrumental (in the musical sense of the word) link to the image. The sound was then translated into an image, and vice versa. The image templates were created by electronic components that were totally unrelated to the television set. Challenging the Renaissance illusion of reality, this new technology suggested that what we see on television is not reality but is pure invention. In other words, everything is produced by means of a series of electronic connections that are entirely artificial.   

Leia esta sinopse em português
Synopsis

O autor sustenta que o surgimento da videoarte provocou uma reversão no sistema de expectativas figurativas do mundo da imagem técnica. Esse sistema, dominado por um modelo de representação renascentista (a perspectiva geométrica monocular) sofre uma ruptura quando Nam June Paik, em 1963, inverte os circuitos de um aparelho receptor de TV para perturbar a constituição da imagem. Os "Distorted TV Sets" de Paik seriam as primeiras imagens não-figurativas da televisão, sintetizadas a partir do puro tratamento eletrônico do fluxo de partículas do iconoscópio. Mais importante ainda, alerta Arlindo Machado: sem a participação de uma câmera. Paik inventaria em 1969 o sintetizador de imagem de vídeo, capaz não só de distorcer a figura renascentista construída pela câmera mas de gerar imagens inéditas. Um teclado permitia estabelecer uma relação instrumental (no sentido musical) com a imagem. O som podia ser traduzido em imagem e vice-versa. Padrões imagéticos eram gerados a partir apenas de constituintes eletrônicos, desvinculados de qualquer homologia com um modelo exterior. Contra a ilusão da representação renascentista do real, a nova tecnologia trazia a noção de que na televisão não há real: tudo é invenção pura. Tudo se produz a partir de um entrelaçamento eletrônico artificialmente produzido.

Revert to English synopsis
Annotations

This article was written for “Folhetim,” a special edition of the weekly cultural supplement published by the newspaper Folha de S. Paulo, which is devoted entirely to art and technology. The professor and art technology theoretician Arlindo Machado displays his teaching skill and clarity of thought as he addresses the general public and explains the new languages that art now uses to communicate via electronic media.  

 

Machado, one of the leading theoreticians and historians in the field of technological art in Brazil, is a professor in the Departamento de Cinema, Rádio e Televisão at the ECA-USP (Escola de Comunicação e Arte da Universidade de São Paulo), and has written extensively on the subject. He has also curated and organized exhibitions of this kind of art, such as A Arte do Vídeo no Brasil (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1997) and Brazilian Vídeo (Washington, DC).

 

[As complementary reading on this subject, see the following articles in the ICAA digital archive: by Julio Plaza “Imagemega” (doc. no. 1111133); and by Lucia Santanella “Outr(a)idade do mundo” (doc. no. 1111104)].

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Este texto foi escrito para uma edição especial do caderno semanal de cultura "Folhetim", do jornal diário "Folha de S.Paulo", totalmente dedicado ao assunto Arte e Tecnologia. O professor e teórico da arte tecnológica Arlindo Machado exercita sua clareza e didatismo para levar ao grande público as noções essenciais para o entendimento das novas linguagens artísticas geradas pelo uso dos novos meios eletrônicos. Arlindo Machado é um dos principais teóricos e historiadores da arte tecnológica em atividade no Brasil. Professor do Depto. de Cinema, Rádio e Televisão da ECA-USP, tem extensa produção científica e vários livros sobre o tema. Exerce também atividades de curadoria, tendo organizado mostras como "A Arte do Vídeo no Brasil" (MAM-RJ, 1997) e "Brazilian Vídeo" (Washington, EUA).

 

Ver também:

PLAZA, Julio. Imagemega. In: Folhetim num. 505, de 12.10.1986. Folha de São Paulo. Págs. 6-7.
SANTAELLA, Lucia. Outr(a)idade do mundo. In: Folhetim num. 505, de 12.10.1986. Folha de São Paulo.Págs. 8-9

 

l- Artes e tecnologias

l- Cinema

l- Experimentação com meios técnicos de produção de imagens audio visuais. Foto. Filme. Videoarte. Videoinstalação. Multimeios

l- Fotografia

Revert to English annotations
Researcher
Angelica de Moraes
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Serviço de Biblioteca e Documentação ECA/USP