Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111029
    TITLE
    Primeiros tempos da arte / tecnologia no Brasil / Walter Zanini
    IN
    A arte no século XXI : a humanização das tecnologias. --- São Paulo, Brasil : Unesp, 1997
    DESCRIPTION
    p. [232]- 242
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Zanini, Walter. "Primeiros tempos da arte / tecnologia no Brasil." In Arte no século XXI: a humanização das tecnologias, 233- 242. São Paulo: Unesp, 1997.
Synopsis

In this text, critic Walter Zanini provides a context for the emergence of art influenced by electronic communication technologies in Brazil. He traces the origins of this sort of art to 1968, when painter and theorist Waldemar Cordeiro, in conjunction with engineer Giorgio Moscati, a professor at the Universidade de São Paulo, produced the first works of what they called “computer art” using a plotter. Zanini argues that the tie between artist and machine first developed in Brazil in the late forties when Abraham Palatnik formulated his works of Kinetic art. Today, Zanini asserts [that there is] a new paradigm that places emphasis on the formal/material process of the work and its making. He indicates that in 1972, there were two focal points of these new concepts and tools of artistic creation: the Centro Arteônica da Unicamp (directed by Cordeiro) and Jovem Arte Contemporânea (JAC), the show held at the Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP) under his direction. In Zanini’s view, starting in the late sixties, “the old nineteenth-century concept of the museum as space of contemplation” was undergoing a transformation. This was due in part “to the information and debates surrounding the two nationwide colloquia organized by the Associação dos Museus do Brasil (the now extinct AMAB).” In this text, Zanini places emphasis on the role played by Spanish graphic artist Julio Plaza—his colleague as codirector of MAC-USP—in the organization of a number of international shows. Zanini states that the first public exhibition of video art in Brazil was held at MAC-USP in 1974. The experimental video art group working at MAC-USP acquired its first camera (a Sony portapak) in 1976.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Walter Zanini contextualiza o início das atividades artísticas impactadas pelas novas tecnologias eletrônicas de comunicação, no Brasil. Localiza os primórdios em 1968, quando Waldemar Cordeiro (em parceria com o engenheiro Giorgio Moscati) produz os primeiros trabalhos em computer art. Afirma que o vínculo artista-máquina teria começado no país quando, em finais da década de 1940, surge a arte cinética de Abraham Palatnik. O novo paradigma valoriza prioritariamente o processo em relação à elaboração formal/material da obra. Aponta dois focos irradiadores em 1972 desses novos conceitos e ferramentas de criação artística: o Centro Arteôntica da Unicamp (dirigido por Cordeiro) e a mostra Jovem Arte Contemporânea (JAC) promovida no MAC-USP, sob sua direção. Situa que, desde o final da década de 1960, transformava-se "o antigo conceito de museu como espaço de exclusiva contemplação, herdado do século XIX, contribuindo para isso as comunicações e debates dos colóquios nacional da Associação dos Museus do Brasil (a extinta AMAB)". Aponta a atuação do teórico e artista visual Julio Plaza na organização, no MAC-USP e em colaboração com ele, Zanini, de várias mostras de participação internacional. Situa em 1974, também no MAC-USP, a primeira mostra pública de videoarte no Brasil. O núcleo de experimentação em videoarte do museu adquiriu a primeira câmara em 1976 (um portapack da Sony).

Revert to English synopsis
Annotations

Walter Zanini (1925-2013), the author of this text, was a critic, curator, and art historian. His work was twofold insofar as he was a theorist interested in the technological impact on art, and an active commentator who in his work as the director of a number of cultural institutions, attempted to support art that engaged technology and effected radical change. Zanini was the first director of the Museu de Arte Contemporânea (a part of the USP). From that post, which he held from 1963 to 1978, he encouraged the production of emerging artists and supported marginalized forms of artistic expression. He was also one of the curators of the first Bienal de São Paulo (1951). In conjunction with Julio Plaza (1938–2003)—an artist from Madrid who lived in Brazil and taught in the Departamento de Multimeios of the UNICamp and the Departamento de Artes Plásticas of the ECA-USP—Zanini organized major events in the seventies focused on communicating the work of artists engaged in experimentation and a conceptual use of multimedia. Due to its exhibitions and equipment, MAC-USP became a focal point for the first generation of Brazilian video artists. As a curator of the 1981 and 1983 Bienales de São Paulo, Zanini presented experimental works of video art, video text, slow-scan, and other media to the public.

 

For related texts, see Walter Zanini’s “Introdução a Prospectiva ‘74” [doc. no. 1110588] and “[Incontáveis artistas] = [Countless artists]” [doc. no. 1110891]; and Waldemar Cordeiro’s “Arteônica” [doc. no. 1110836] and “‘Computer Plotter Art’—Primeira Mostra na America Latina” [doc. no. 1110487].

 

For additional information, see Walter Zanini’s “A Arte de Comunicação Telemática” (1998): Agnus Valente (org.), HIBRIDA, Revista Eletrônica, www.agnusvalente.com/hibrida/walterzanini_texto_01.htm available as of February 2009; cf. Ars magazine, São Paulo, 1(2003), pp. 10–34.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Depoimento de grande significado porque Walter Zanini reúne a dupla condição de teórico atento ao impacto da tecnologia na arte e ativo fomentador dessas mudanças através das instituições culturais que dirigiu. Como diretor do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP) no período 1963-1978, promoveu exposições de novos meios e disponibilizou equipamento de vídeo em um núcleo de experimentação que se tornou pólo irradiador da primeira geração de videoartistas brasileiros. Como curador das bienais de São Paulo de 1981 e 1983, apresentou ao grande público essas produções experimentais (videoarte, videotexto, slow-scan, etc...).

 

Ver também:

ZANINI, Walter. A arte de Comunicação Telemática. 1998. In: VALENTE, Agnus (org.) HIBRIDA, Revista Eletrônica www.agnusvalente.com/hibrida/walterzanini_texto_01 acessado em fevereiro de 2009; revista Ars, São Paulo, ano 1.n.1, p-10-34,2003. Uma dúvida: devemos remeter a esse texto na revista Ars mesmo sabendo que não é o mesmo texto que foi fichado a partir da revista eletrônica Híbrida. O título é o mesmo mas o texto na Ars é mais extenso.

 

k- Atuação curatorial

k- Nova função do museu como espaço experimental

l- Arte e tecnologia digital. Poéticas digitais

l- Formação de nova rede institucional e suas estratégias

m- Estratégias de visibilidade local e intercâmbio cultural

Revert to English annotations
Researcher
Angelica de Moraes
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
Walter Zanini, 1997. Reproduzido com o consentimiento de Neusa Boari Zanini, São Paulo, BR
Location
Serviço de Biblioteca e Documentação ECA/USP