Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111023
    AUTHOR
    Veras, Eduardo
    TITLE
    Haroldo de Campos quer fazer intervenção poética no Torreão
    IN
    Zero Hora (Porto Alegre, Brasil). -- Jan. 26, 1994
    DESCRIPTION
    p. 5
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Newspaper article – notes
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    VERAS, Eduardo. Haroldo de Campos quer fazer intervenção poética no Torreão. Zero Hora, Porto Alegre, 26 jan. 1994. Segundo Caderno. p.5.
    TOPIC DESCRIPTORS
    NAME DESCRIPTORS
    Campos, Haroldo de
Editorial Categories [?]
Synopsis

Eduardo Veras, visual arts critic for the principal daily newspaper in the state of Rio Grande do Sul (Zero Hora, in Porto Alegre), wrote “Um ensaio em forma de ambientação” about an exhibition of work by Elaine Tedesco in the Torreão, an exhibition space in Porto Alegre that opened in 1993. In his article, Veras mentions the project by the concrete poet Haroldo de Campos to carry out a “poetic” intervention in that building. In de Campos’s opinion, “the Torreão is not a commercial site, like private galleries, and neither was it established by ordinance like other exhibition spaces.” The space was adapted based on plans by the visual artists Élida Tessler and Jailton Moreira. Referring to Moreira, Veras explains that “the idea was to organize a different space, one that could serve as a workshop and classroom,” in other words, “a place where artists could work together, exchanging ideas and artwork.” Veras believes that the Torreão is slowly, step by step, turning into a dedicated space for individual exhibitions, courses, film viewings, and debates on culture and contemporary art.”

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Assinado por Eduardo Veras, crítico de artes visuais do principal jornal diário do Rio Grande do Sul (Zero Hora, de Porto Alegre), o texto é uma segunda retranca da notícia "Um ensaio em forma de ambientação", também de autoria de Veras, sobre exposição de Elaine Tedesco no Torreão. Apresenta aos leitores o novo espaço expositivo independente Torreão, inaugurado há sete meses, em junho de 1993, em Porto Alegre, e menciona a intenção do poeta Haroldo de Campos de realizar uma intervenção "poético" no edifício da organização. Segundo explica, "o Torreão não é comercial, como as galerias particulares, nem disputado por edital, como as salas públicas". O texto nomeia os dois criadores do espaço, os artistas plásticos e professores Elida Tessler e Jailton Moreira. "A idéia era organizar um espaço diferente, que pudesse servir de ateliê e sala de aulas" Um lugar "de convivência, troca e trabalho", diz o texto, citando Jailton Moreira. Veras atesta que o Torreão "vem se firmando como local privilegiado para individuais, cursos, projeções de vídeo e debates sobre cultura e arte contemporânea".

Revert to English synopsis
Annotations

Located on the top floor of the building (surrounded by high, narrow windows, like a fortified tower), the exhibition space Torreão became known for its architecture. This building was the site of important events in the art world in the state of Rio Grande do Sul during the 1990s. As of the year 2000, its intensive program schedule had presented about fifty exhibitions with certain site-specific works created by artists including Antoni Muntadas, Arthur Barrio, Regina Silveira, and Waltércio Caldas. Group exhibitions shown at the Torreão featured the groups Alpendre (Fortaleza, Ceará) and Capacete (Rio de Janeiro). Jailton Moreira and Élida Tessler established a user-friendly information and exchange network that even included a foreign participant—the German Goethe Institute.

 

In time, Eduardo Veras became the main critic of the events held at the Torreão for the Porto Alegre press. For her part, Élida Tessler wrote critical texts about events that took place at the Torreão for the newspaper Zero Hora.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Localizado no piso mais alto da edificação e rodeado de janelas altas e estreitas, como seteiras de torre de vigia, o espaço expositivo do Torreão ganhou seu nome devido a essa característica arquitetônica. Desde o início apostou em novos talentos que iriam arejar e protagonizar a cena artística dos anos 1990. É um dos coletivos brasileiros mais longevos, com grande constância e pertinência na programação. Desenvolveu intensa programação, contabilizando em 2000 mais de 50 exposições, com obras especialmente criadas para o local por nomes de prestigio internacional como Antoni Muntadas, Arthur Barrio, Regina Silveira e Waltércio Caldas, entre outros. Em intercâmbio com coletivos congêneres como Alpendre (Fortaleza, Ceará) e Capacete (Rio de Janeiro), Jailton Moreira e Elida Tessler estabeleceram ágil rede de informações e intercâmbio de mostras e palestras, além de manter contato e colaboração com diversas instituições no exterior, especialmente o Goethe Institut (Alemanha). Eduardo Veras se tornou o mais freqüente autor de notícias e comentários sobre as atividades do Torreão na imprensa de Porto Alegre. Elida Tessler também escreve textos críticos no diário "Zero Hora" sobre exposições no Torreão.

 

m- Estratégias de visibilidade local e intercâmbio cultural

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Angelica de Moraes
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Zero Hora