Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1111005
    TITLE
    Retratos de meus pintores / Manuel Bandeira
    NOTES

    Publicado originalmente em:

    Bazar, Rio de Janeiro, 7 out. 1931.

    IN
     Salão de 31. -- Rio de Janeiro : Funarte, 1984
    DESCRIPTION
    p. 100-102
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    BANDEIRA, Manuel. Retratos de meus pintores. In: VIEIRA, Lucia Gouveia. Salão de 31. Rio de Janeiro: Funarte, 1984. p.100-102.
    TOPIC DESCRIPTORS
    GEOGRAPHIC DESCRIPTORS
Synopsis

The poet from Recife, Manuel Bandeira, was the model for two portraits, one by Cândido Portinari, the other by Frederico Maron, both of which were exhibited at the Salão de 31 de la Escola Nacional de Belas Artes (Rio de Janeiro). He [Bandeira] discusses the modern approach to the genre of portrait painting in which the painter feels free to work in his own particular style. As he compares the two approaches, one by Maron and the other by Portinari (whom the author compares to Amedeo Modigliani), Bandeira discusses the different temperaments of the painters, in which each in their lyrical way achieves a particular expression that is more “Germanic” in the former and more “Latin” in the latter. Both artists explore something new in the visual arts, creating an alternative to portrait painting that is not simply a copy of the subject. 

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Aproveitando a ocasião de ter dois retratos seus feitos pelos pintores Cândido Portinari e Frederico Maron em exposição no Salão de 31 da Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, o escritor e poeta Manuel Bandeira faz considerações sobre o gênero retrato, particularmente sob um ponto de vista moderno, no qual a postura pessoal do artista ganha destaque. Bandeira, ao comparar as diferenças plásticas entre as pinturas de Maron e de Portinari (que o autor compara a Modigliani), chama atenção para os seus diferentes temperamentos que, mais ou menos líricos, não deixam escapar o fato de a expressão, nos dois casos - uma, nas palavras de Bandeira, mais "germânica" e a outra, mais "latina" -, protagonizar uma nova realidade plástica, uma outra maneira de interpretar o retratado que não a simples cópia.

Revert to English synopsis
Annotations

Manuel Bandeira (1886–1968) was one of the major modern Brazilian writers and poets. In the late 1920s and early 1930s, Bandeira championed the “modernist” cause in Brazil, as demonstrated by his staunch support for the architect and urbanist Lúcio Costa during the latter’s term as director of the Escola Nacional de Belas Artes in 1931. The so-called Salão de 31 (which was, in fact, the thirty-eighth Exposição Geral de Belas Artes) was held in the above-mentioned school during that same year. Under Costa’s leadership, it was a watershed event in Brazilian art that sought to introduce modern art to the traditional art schools and galleries of the country. 

 

[As complementary reading, see the following articles by the author in the ICAA digital archive: “Belas Artes” (doc. no. 1075449); “O Brasil que insiste em pintar” (doc. no. 1075573); “Um grande artista pernambucano: Manoel Bandeira, o desenhista” (doc. no. 1110818); “A revolução e as Belas Artes” (doc. no. 1110996); “O salão dos tenentes” (doc. no. 1075614); and “Tarsila antropófaga” (doc. no. 781956)].

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Manuel Bandeira é um dos principais escritores e poetas modernos brasileiros. Durante o final da década de 20 e início dos anos 30 será um dos principais defensores da causa moderna no país, como atesta seu apoio ao arquiteto Lucio Costa durante a gestão do último na Escola Nacional de Belas Artes em 1931. O Salão de 31 (38a. Exposição de Belas Artes), ocorrido na Escola Nacional de Belas Artes, em 1931, durante a gestão de Lucio Costa, marcou uma transformação na arte brasileira ao tentar inserir a arte moderna no âmbito das instituições formais de ensino e circulação da arte.

 

Ver também:

Manuel Bandeira. O Brasil que insiste em pintar.

 

b- Acadêmicos e modernos

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Guilherme Bueno
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Acervo Pessoal Guilherme Bueno