Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110861
    TITLE
    Técnica e arte
    IMPRINT
    Salvador, Brasil, 23 out. 1960
    DESCRIPTION
    1p.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Newspaper article – Crítica de arte
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    BARDI, Lina Bo. Técnica e arte. Diário de Notícias, Salvador, 23 out. 1960. 1p.
    TOPIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

Lina Bo Bardi, director of the Museu de Arte Moderna da Bahia (MAMB), explains the title of the exhibition Desenho concreto [Concrete Design], which featured airplane engines and electronic parts. She provides a historical perspective on the connections between scientific progress and European avant-garde movements from Dutch De Stijl or Neoplasticism to German-Swiss Dada. Bo Bardi maintains that the development of Brazilian Concretism was “late.” She also argues with great conviction that things only imagined by avant-garde artists like Kazimir Malevich, Piet Mondrian, and Theo van Doesburg are now lived reality. She claims that in the contemporary world, art is once again associated with technology as the line between art and science has blurred. She supports what she sees as the critical side of contemporary modern society.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

A arquiteta Lina Bo Bardi, diretora do Museu de Arte Moderna da Bahia, explica o título "Desenho concreto" para a exposição de motores de avião e desenhos técnicos de peças eletrônicas apresentadas na instituição. Sob um ponto de vista histórico, discorre sobre as relações entre o progresso científico e os movimentos de vanguarda europeus De Stijil e Dadaísmo. Considera o Concretismo no Brasil como um acontecimento "tardio". Afirma que os temas outrora imaginados por artistas como Kasimir Malevitch, Piet Mondrian e Theo Van Doesburg hoje fazem parte da realidade. Argumenta que, no mundo contemporâneo, a arte volta a se identificar com a técnica e a dualidade entre ciência e arte tende à fusão. Afirma a dimensão crítica da sociedade moderna contemporânea.

Revert to English synopsis
Annotations

This article documents the author’s critical view of the close ties between technology and art in the contemporary world. It discusses the emergence of a strain of Concrete art in Brazil in the fifties and early sixties, and points out the visual importance of the engines and industrial parts on display at MAMB.

 

In the early fifties, Italian born author and architect Lina Bo Bardi (née Achillina Bo, 1914-92), who lived in Brazil, directed the art magazine Habitat that was published by the Museu de Arte de São Paulo (MASP). In 1951, she, and her husband Pietro Maria Bardi (1900-99), who was curator and director of MASP, began at the museum the industrial design department Instituto de Arte Contemporânea (IAC), where she taught. She lived in Salvador, Bahia, from 1959 to 1964, the years that she directed the Museu de Arte Moderna da Bahia (MAMB). Her work as the head of programming and education at MASP, and later as the director of MAMB, demonstrate her commitment to art historical exhibitions. She was also responsible for organizing exhibitions with a wide range of contemporary artists from Brazil and elsewhere, and for efforts that placed emphasis on popular culture from northeastern Brazil. Bo Bardi advocated organizing courses in art, music, cinema, and theater, and workshops in industrial design and crafts. Her work energized the art scene from this region of Brazil and allowed local artists to come into contact with major figures in contemporary art. In 1963, the Museu de Arte Popular was opened with pieces from different regions of the country.

 

For a related text, see Lina Bo Bardi’s “O Museu de Arte Moderna da Bahia” [doc. no. 1110860].

 

For additional information, see Lina Bo Bardi’s “O Instituto de Arte Contemporânea surge…”, informational pamphlet, c. 1950, and “O Museu de Arte Moderna,” Diário de Notícias, Salvador, October 18, 1959; Glauber Rocha’s “MAMB Não é Museu: é Escola e Movimento. Por uma Arte Que Não Seja Desligada do Homem,” September 21, 1960; and Jacob Ruchti’s “Instituto de Arte Contemporânea,” HABITAT no. 3 (1951).

Leia este comentário crítico em português
Annotations

O artigo da arquiteta Lina Bo Bardi, então diretora do Museu de Arte Moderna da Bahia, demonstra a visão crítica da autora sobre as relações entre técnica e arte na contemporaneidade. A arquiteta problematiza a realização da arte concreta no Brasil durante os anos cinqüenta e início dos sessenta apontando para os valores plásticos observados em motores e peças industriais. Lina Bo Bardi imigrou para o Brasil nos anos quarenta e, na década seguinte, assumiu um papel de destaque no ambiente cultural de São Paulo, sendo uma das responsáveis pela programação e pelas ações didáticas do Museu de Arte de São Paulo, fundado em 1947, sob direção de seu marido, o marchand Pietro Maria Bardi. A arquiteta viveu na cidade de Salvador, Bahia, entre 1959 e 1964, período em que dirigiu o Museu de Arte Moderna da Bahia. Sua gestão é marcada por uma programação dinâmica que contemplava exposições didáticas sobre história da arte, mostras de artistas contemporâneos nacionais e internacionais, de diferentes tendências, além da valorização da cultura popular nordestina. Promovia cursos regulares de arte, música, cinema e teatro, oficinas de desenho industrial e artesanato popular. Suas ações dinamizaram o ambiente artístico da região nordeste do país proporcionando o contato dos artistas locais com nomes de destaque da arte nacional e internacional.

 

Ver também:

BARDI, Lina Bo. O Museu de Arte Moderna. Diário de Notícias, Salvador, 18 out. 1959.
ROCHA, Glauber. MAMB Não é Museu: é Escola e "Movimento" Por uma Arte Que Não Seja Desligada do Homem. Sem local, sem nome do periódico, 21 set. 1960.
RUCHTI, Jacob. Instituto de Arte Contemporânea. Habitat n. 3, 1951.
[BARDI, Pietro Maria & BARDI, Lina Bo?]. "O Instituto de Arte contemporânea surge...". Folheto de divulgação do IAC, [1950?].
[Lina Bo Bardi?]. Formas como escultura. Salvador, 1960. Datiloscrito.

 

c- Apropriações. Entrecruza/o de culturas: cult popular e cult erudita; cult artística e indústria cultural; cult rural, cult urbana, cult suburbana

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Heloisa Espada
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
Reproduzido com o consetimento de Instituto Lina Bo e P. M. Bardi, São Paulo, Brasil
Location
Museu de Arte Moderna da Bahia