Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110679
    AUTHOR
    Raghy, Luiz Sergio
    TITLE
    Viajou sem passaporte / Luiz Sergio Raghy
    IN
    Arte em revista (São Paulo). --  No.8 (Out. 1984)
    DESCRIPTION
    p. 116-119
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Journal article – Testimonials
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    RAGHY, Luiz Sergio. Viajou sem passaporte. Arte em revista, São Paulo, CEAC - Centro de Estudos de Arte Contemporânea, n.8, p.116-119, out. 1984.
    NAME DESCRIPTORS
    Dada, Nayyar Ali; Viajou Sem Passaporte
    GEOGRAPHIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

In 1979 the writer and actor Luiz Sérgio Raghy agreed to be interviewed by the alternative newspaper Oras, Pombas! about the Brazilian group Viajou Sem Passaporte. Raghy talks about the origins of the group and its earliest theatrical productions, events that were minimally scripted and open to improvisation and even to voluntary audience participation. Raghy mentions the crucial influence of certain Surrealist and Dada approaches with which the troupe attempted to stimulate “a creative work group” rather than a timid band of artists. All of that was intended as a “repudiation” of the value attributed to works of art; the goal, therefore, was to create “borderline situations” that flirted with the line that separates art from what is not art. Ignoring traditional artistic codes led to street performances that sought to disrupt “the reigning normality,” and invasions of other theatrical productions staged by commercial companies. In one of those invasions—organized deliberately to expose the naturalistic pattern of theatrical productions—the members of Viajou Sem Passaporte were taken for the paramilitary group CCC (Comando de Caça aos Comunistas), a far right student and intellectual organization that, during the military dictatorship in Brazil (1964–85), reported to the regime any activity they considered to be counter to the directives of the de facto government.       

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Entrevista concedida pelo escritor e ator Luiz Sergio Raghy para o jornal alternativo "Ora, Pombas!", em 1979, sobre as atividades do grupo Viajou Sem Passaporte. Neste depoimento, Raghy conta a origem cênica do grupo e as primeiras experiências com um teatro minimamente roteirizado, aberto a improvisações e à participação voluntária da platéia. Fala da influência decisiva de preceitos surrealistas e dadá para a idéia de constituir, em vez de um grupo de artistas, um "grupo de trabalho com a criatividade" - em "repúdio" ao valor dado à obra de arte e a fim de produzir "situações" que ficassem no limite entre o que é e o que não é arte. Assim, com o abandono dos códigos artísticos tradicionais, surgiram as intervenções realizadas nas ruas, para quebrar a "normalidade vigente", e as invasões a espetáculos de teatro de outras companhias. Numa destas invasões de palco, feitas para desmascarar o regime naturalista da representação teatral, os componentes do Viajou Sem Passaporte chegaram a ser confundidos com integrantes do Comando de Caça aos Comunistas (CCC), organização formada por estudantes e intelectuais de direita que, durante a ditadura militar no Brasil (1964-1985), denunciavam ao aparelho de repressão oficial as atividades consideradas contrárias ao governo.

Revert to English synopsis
Annotations

After the theater company MOVE was disbanded, an experimental group was started by students at the ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo), whose basic goal was to intervene in theatrical productions; they even staged street interventions in urban areas. The group Viajou Sem Passaporte was active from 1979 through 1982, together with other groups inspired by similar goals, such as 3Nós3, Manga Rosa, and Tupi Não Dá, all of which wanted to expand the field of artistic expression beyond conventional genres, institutional spaces, and the search for languages that could shatter traditional categories in art and in theater. The members of Viajou Sem Passaporte were: Beatriz Caldano, Celso Santiago, Carlos Alberto Gordon, Marli de Souza, Márcia Meirelles, Marilda Carvalho, Roberto Mello, and Luiz Sérgio Raghy.

 

[As regards the 3NÓS3 group, see the following articles in the ICAA digital archive: by Mario Ramiro “Zona de Tensão” (doc. no. 1111240) and “Ninguém mais sai” (doc. no. 1111134); and by Hudinilson Jr., Mario Ramiro and Rafael França “3NÓS3 / Interversão urbana” (doc. no. 1110667)].

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Criado em São Paulo, após a dissolução da companhia de teatro MOVE, o Viajou Sem Passaporte se constituiu como um grupo experimental formado por alunos da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo cuja proposta era intervir em apresentações cênicas e no cotidiano da cidade. Esta atuação, desenvolvida entre 1979 e 1982, localiza o Viajou Sem Passaporte ao lado de outros grupos, como o 3Nós3, o Manga Rosa e o Tupi Não Dá, interessados na expansão de seus respectivos campos de atividade para além dos espaços institucionais e na procura por linguagens capazes de romper com as categorias tradicionais da arte e do teatro. Compunham o Viajou Sem Passaporte Beatriz Caldano, Celso Santiago, Carlos Alberto Gordon, Marli de Souza, Márcia Meirelles, Marilda Carvalho, Roberto Mello e Luiz Sergio Raghy.

 

Ver também: "3NÓS3/ Interversão urbana", Hudinilson Jr., Mario Ramiro e Rafael França
"Out-arte", Stella Teixeira de Barros

 

e-  Arte e espaço urbano

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: José Augusto Ribeiro
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Serviço de Biblioteca e Documentação ECA/USP