Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110670
    TITLE
    Política e cultura (subsídios para uma plataforma do PT em 82)
    IN
    Que horas são?. -- São Paulo : Companhia das Letras, 1987
    DESCRIPTION
    p. 83-85
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Program
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Schwarz, Roberto. "Política e cultura (subsídios para uma plataforma do PT em 82)." In Que horas são? , 83-85. São Paulo : Companhia das Letras, 1987.
    TOPIC DESCRIPTORS
    GEOGRAPHIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

The synopsis in English are coming soon.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

O texto identifica um processo cultural novo em andamento, desde o golpe militar de 1964, decorrente da aliança entre o capital privado e o Estado na orientação dos meios de comunicação de massa. Processo este cheio de implicações políticas, na opinião do autor: pela popularidade de seu alcance público e pela impopularidade dos interesses a que presta contas. Sob a égide da comunicação de massa, a questão cultural torna-se decisiva para o trabalhador brasileiro. Sobretudo porque, esquematicamente, a concentração de iniciativas no campo da cultura fica sob o controle das classes dominantes, redundando na sujeição cultural da população, feita espectadora e consumidora de um padrão de cultura mais ou menos homogêneo. Assim, a formulação da defesa dos interesses dos trabalhadores passaria pela "invenção" de uma política democrática em relação aos meios de comunicação de massa; por um estudo e revisão das condições deste processo, e não apenas pelo exame de seu conteúdo.

Revert to English synopsis
Annotations

The annotations in English are coming soon.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

O texto do crítico literário Roberto Schwarz foi apresentado, em 1982, como subsídio para a plataforma cultural do então recém-fundado Partido dos Trabalhadores (PT). Schwarz compunha à época um grupo de intelectuais formado para pensar o programa político do PT e do qual faziam parte, também, as atrizes Lélia Abramo, Denise Del Vecchio, Maria Esmeralda e Bete Mendes, o museólogo Maurício Segall e o crítico literário Antonio Candido. Neste documento, o autor propugna uma política cultural democrática, afirmando que "cultura não é política" e que, por isso, as reflexões com o objetivo de formular uma plataforma atenta aos interesses dos trabalhadores devem se debruçar sobre as condições de produção da cultura, e não apenas aos seus conteúdos. Schwarz chama a atenção, por exemplo, para os problemas relativos à concentração de propriedade dos meios de comunicação de massa e à aliança de interesses entre o capital privado e o Estado brasileiro. Assuntos nos quais não estava prevista a participação popular, senão como espectador ou consumidor da TV, do rádio e da imprensa.

 

e- Alianças, modelos de atuação e organização da cultura. Projetos públicos.

e- Reflexões sobre transformações históricas, perspectivas políticas e sentido social da arte

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: José Augusto Ribeiro
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Serviço de Biblioteca e Documentação ECA/USP