Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110646
    TITLE
    Grupo Seibi
    IN
    8º Salão de Artes Plásticas do "Grupo Seibi". --- Rio de Janeiro, Brasil : Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1964
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    "Grupo Seibi." In 8º Salão de Artes Plásticas do "Grupo Seibi". Exh. cat.,Rio de Janeiro, Brazil: Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 1964.
    NAME DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

This text was featured in the catalogue for 8º Salão de Artes Plásticas that was organized by the Grupo Seibi in 1964. It recounts the history of the group of artists from the Japanese community in the state of São Paulo, a group created in 1935; the first Japanese immigrants to Brazil arrived in 1908. The text points out that while the tendencies pursued by the artists in the group are diverse, they share technical and formal concerns and an interest in the idea of “nationality” as formulated by the “modernists” at the Semana de 1922. While adamant about their cultural roots, the Japanese artists in Seibi were sensitive to the quality of Brazilian light and color. The text cites an article on the Grupo Seibi published in the weekly Manchete on March 21, 1964. That article emphasizes the leading role that Manabu Mabe—an artist associated with Tachisme—played in the group.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Texto no catálogo do 8º Salão de Artes Plásticas do Grupo Seibi, realizado em 1964. Apresenta um histórico do grupo formado originalmente por imigrantes japoneses, em São Paulo, em 1935. Menciona os primeiros integrantes. Considera o caráter heterogêneo do grupo, que reúne artistas de tendências variadas, mas que têm em comum a preocupação com questões técnicas e formais, bem como o apreço pela idéia de nacionalidade proposta por modernistas brasileiros em 1922. Afirma que os japoneses reunidos no Seibi mantêm suas raízes culturais, ao mesmo tempo em que são sensíveis à atmosfera, à luz e à cor brasileiras. Cita matéria sobre o grupo publicada na revista Manchete, em 21 de março de 1964. O texto destaca o pintor Manabu Mabe como líder do Seibi, e associa sua pintura ao tachismo.

Revert to English synopsis
Annotations

This text is a presentation of the Grupo Seibi written by the group members. It was first published in the catalogue to the show 8º Salão de Artes Plásticas do Grupo Seibi held in 1964; portions of the text were later reproduced in the catalogues to the salons organized by the group. The Grupo Seibi was formed in 1935 during the second major wave of immigration to Brazil. Its primary purpose was to encourage the exchange of technical information and to further critical debates that contributed to making members’ works known. From 1942 to 1947, the activities of the group were banned since Japanese people were prohibited from assembling due to Brazilian support of the Allies and opposition to the Axis during World War II. After the war, the group resumed activities until 1970. During this second period, new artists joined the group, a studio was set up, and classes were given in conjunction with group salons. The diverse production exhibited at the shows and salons organized by the group illustrate the important role that Japanese-Brazilian artists have played in Brazilian art.

For additional information, see Frederico Morais’s text “[Flávio] Shiró: dos muros de Paris à memória amazônica” [doc. no. 1111282], in which he discusses one of these Japanese immigrant painters.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Publicado pela primeira vez no catálogo do 8º Salão de Artes Plásticas do Grupo Seibi, em 1964, esse texto foi reproduzido parcialmente em catálogos de salões promovidos posteriormente pela associação. Trata-se de uma apresentação do grupo preparada por seus integrantes. A sigla Seibi reúne as iniciais, em japonês, de "Grupo de Artistas Plásticos de São Paulo". O núcleo foi criado em 1935, por imigrantes japoneses, com o objetivo de promover a troca de informações técnicas, debates críticos e divulgar as obras de seus integrantes. Entre 1942 e 1947, interrompeu suas atividades em decorrência de uma proibição oficial que impedia a reunião de imigrantes japoneses, em conseqüência da II Guerra Mundial. Em sua primeira fase, a produção do grupo se aproximava, de modo geral, à pintura francesa pós-impressionista. Suas atividades foram retomadas em 1947 e se estenderam até 1970. Nessa segunda etapa, a associação recebeu novos integrantes, criou um ateliê coletivo, promoveu cursos e os Salões do Grupo Seibe. Essas exposições reuniram uma produção diversificada e exerceram um importante papel na divulgação da obra de artistas nipo-brasileiros no cenário artístico nacional.

 

Ver também: HANDA, Tomoo; LOURENÇO, Maria Cecília França. Depoimento: Tomoo Handa. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1982. Datiloscrito.
HANDA, Tomoo. 1ª Ata Grupo Seibi. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1935. Datiloscrito.
MARTINS, Ibiapaba. Meia hora no "atelier" do Jacaré. Correio Paulistano, São Paulo, 03 jan. 1948.
PECORARI, Alzira et alli. Depoimentos sobre o Grupo Guanabara. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1988 - 1989. Datiloscrito.
Pinacoteca do Estado de São Paulo. Nipos brasileiros. Mestres e alunos em 50 anos. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1984. Catálogo de exposição.
TAKAOKA, Yoshyia; PECCININNI, Daisy. Depoimento de Yoshyia Takaoka ao Centro de Pesquisa de Arte Brasileira... São Paulo: Fundação Armando Álvares Penteado, 1976. Transcrição de áudio.

 

j- Artistas imigrados de origem japonesa

Revert to English annotations
Researcher
Heloisa Espada
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
Coleção MAM RJ
Location
Pinacoteca do Estado de São Paulo