Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110524
    AUTHOR
    Salum, Marta Heloísa Leuba
    TITLE
    Cem anos de arte afro-brasileira = One hundred years of Afro-Brazilian art / Marta Heloísa Leuba Salum
    IN
    Arte afro-brasileira. -- São Paulo : Associação Brasil 500 Anos Arte Visual: Fundação Bienal de São Paulo, 2000
    DESCRIPTION
    p. 112-121
    LANGUAGES
    English; Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Salum, Marta Heloísa Leuba. Cem anos de arte afro-brasileira = One hundred years of Afro-Brazilian art. In: NEYT, François; Vanderhaeghe, Catherine; Munanga, Kabengele; Salum, Marta Heloísa Leuba. Arte afro-brasileira. São Paulo: Associação Brasil 500 Anos Arte Visual: Fundação Bienal de São Paulo, 2000. p.112-121.
    TOPIC DESCRIPTORS
Editorial Categories [?]
Synopsis

This article discusses what is meant by the term “Afro-Brazilian art.” The anthropologist Marta Heloísa Leuba Salum describes it as an abstract place where Africa and Brazil commingle in an imaginary universe. She stresses that Afro-Brazilian art is, above all, a contemporary phenomenon, since it wasn’t until the twentieth century that it began to be referred to by that name, once it started being recognized as both a visual and a plastic form of expression that, on the one hand embraced African aesthetics and religiosity and, on the other, documented socio-cultural aspects of black life in Brazil. It is an umbrella term that covers the material culture of black populations in Brazil, works of art that are representative of a popular culture with African roots, and a reinterpretation of traditional African art produced in Brazil. The anthropologist Leuba Salum identifies connections between the painters Heitor dos Prazeres and Pedro Paulo Leal; the sculptors Mestre Didi, Agnaldo dos Santos, and Emanoel Araújo; and the visual artists Rubem Valentim and Niobe Xandó, who create a language based on graphic symbolism; she also sees connections between the installation works of Rosana Paulino and Ronaldo Rego.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Texto sobre o conceito de arte afro-brasileira. A antropóloga Marta Heloísa Leuba Salum se refere a um território abstrato, no qual se unem, pelo imaginário, África e Brasil. Enfatiza que a arte afro-brasileira é, antes de mais nada, contemporânea. Ganhou nome no século XX e passou a ser reconhecida como toda manifestação plástica e visual que retome, de um lado, a estética e a religiosidade africanas tradicionais, e, de outro, os cenários socioculturais do negro no Brasil. Trata-se da cultura material dos segmentos negros no Brasil, das obras representativas da cultura popular de origem africana e das releituras da arte africana tradicional. Salum faz aproximações entre os pintores Heitor dos Prazeres e Pedro Paulo Leal; os escultores Mestre Didi, Agnaldo dos Santos e Emanoel Araújo; os artistas plásticos Rubem Valentim e Niobe Xandó, que criam uma linguagem baseada em simbolismos gráficos; Rosana Paulino e Ronaldo Rego, com instalações.

Revert to English synopsis
Annotations

This essay explores how the concept of “Afro-Brazilian art” took shape over the course of the twentieth century. It was published in Arte afro-brasileira, the catalogue for the exhibition of the same name that addressed various aspects of the African presence in Brazil, an integral part of a series of exhibitions organized in the city of São Paulo on the occasion of the celebration of the Fifth Centenary of the Discovery of Brazil. The exhibition focused on Brazilian cultures from pre-Columbian times up to the present. In addition to the essay by Leuba Salum, the Arte afro-brasileira catalogue included essays by the Belgian curators François Neyt and Catherine Vanderhaeghe, and by the curator of the Brazilian section of the exhibit, the anthropologist Kabengele Munanga.     

 

Raul Lody (b. 1952), the anthropologist and specialist in Afro-Brazilian religions, published a number of studies on this subject, including Vinte e um bastões cerimoniais [21 ceremonial scepters] (Rio de Janeiro: Museu Nacional, 1990); “Dezoito esculturas antropomorfas de orixás” [see doc. no. 1110529]; and others that were more focused on the theme such as “Yorubá: um estudo etno-tecnológico de 50 peças da coleção arte africana do Museu Nacional de Belas-Artes” [doc. no. 1110532]; and “Coleção Arthur Ramos” [doc. no. 1110525].

 

Other published articles and studies on this subject by noted specialists that have already been filed in the ICAA digital archive include: Catálogo ilustrado do Museu Folclórico, by Oneyda Alvarenga [doc. no. 1110523]; Cosmologias e altares, by Maria Lúcia Montes [doc. no. 1110528]; Para nunca esquecer. Negras memórias. Memórias de negros, published by the Museu Histórico Nacional [doc. no. 1110530]; and Catálogo do Museu Afro Brasileiro, by Jocélio Teles dos Santos [doc. no. 1110521].

 

There are several articles that complement this document, including Arte e religiosidade afro-brasileira, by Vagner Gonçalves da Silva (São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 2008); the one by the medical doctor and ethnologist [Raimundo] Nina Rodrigues (1862–1906), “As bellas-artes nos colonos pretos do Brazil: a esculptura” [doc. no. 1110427], that addresses the presence of sculptures brought from Africa or produced by African slaves and their descendants in Brazil; another is “Religiosidade africana no Brasil; Arte afro-brasilidade” [doc. no. 1110519], jointly written by the sociologist Marcondes de Moura and the artist Emanoel de Araújo; and, finally, “Esboço histórico: o elemento negro nas artes plásticas” [doc. no. 1110463], by the anthropologist Marianno Carneiro da Cunha.

Leia este comentário crítico em português
Annotations

O documento indaga como o conceito de arte afro-brasileira foi sendo historicamente construído ao longo do século XX. O texto integra o catálogo Arte afro-brasileira, que acompanhou a exposição de mesmo título, sobre diversos aspectos da presença africana no Brasil. Essa mostra fez parte da série de exposições realizadas na cidade de São Paulo por ocasião das comemorações do 5o centenário do descobrimento do Brasil. O evento abrangeu desde as culturas pré-coloniais até a contemporaneidade. O catálogo Arte afro-brasileira inclui textos dos curadores belgas François Neyt e Catherine Vanderhaeghe e dos curadores do segmento brasileiro da exposição, os antropólogos Kabengele Munanga e Marta Heloísa Leuba Salum.

Ver também:
1. LODY, Raul. Vinte e um bastões cerimoniais. Rio de Janeiro: Museu Nacional, 1990.
2. LODY, Raul. Dezoito esculturas antropomorfas de orixás. Rio de Janeiro: Ministério da Cultura, Funarte, Instituto Nacional do Folclore, [1987?].
3. LODY, Raul. Coleção Culto Afro-Brasileiro: um documento do Candomblé na cidade do Salvador. Salvador, Rio de Janeiro: Fundação Cultural do Estado da Bahia, Ministério da Cultura, Funarte/ Instituto Nacional do Folclore, 1985.
4. LODY, Raul. Coleção culto afro-brasileiro.  Um testemunho do Xangô pernambucano. Recife: Museu do Estado de Pernambuco, 1983.
5. LODY, Raul. Yorubá.  Um estudo etno-tecnológico de 50 peças da Coleção Arte-Africana do Museu Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro: Ministério da Cultura, Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Fundação Nacional Pró-Memória, Museu Nacional de Belas Artes, 1985.
6. LODY, Raul. Coleção Arthur Ramos. Rio de Janeiro, Fortaleza: Funarte/ Instituto Nacional do Folclore, Universidade Federal do Ceará, 1987.
7. DUARTE, Abelardo. Catálogo ilustrado da Coleção Perseverança. Maceió: Departamento de Assuntos Culturais, Senec, 1974.
8. ALVARENGA, Oneyda. Catálogo ilustrado do Museu Folclórico. São Paulo: Prefeitura do Município de São Paulo,  Secretaria de Educação e Cultura,  Departamento de Cultura,  Divisão de Expansão Cultural,  Discoteca Pública Municipal, 1950.
9. MOURA, Carlos Eugênio Marcondes de & ARAÚJO, Emanoel. Arte e religiosidade afro-brasileira.  São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1994.
10. MONTES, Maria Lúcia. Cosmologias e altares. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1997.
11. MUNANGA, Kabengele. Arte afro-brasileira: o que é afinal? São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2000.
12. MUSEU HISTÓRICO NACIONAL. Para nunca esquecer. Negras memórias. Memórias de negros. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2002.
13. SANTOS, Jocélio Teles dos. Catálogo do Museu Afro Brasileiro. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais da Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, 2004.
14. SILVA, Vagner Gonçalves da. Arte e religiosidade afro-brasileira. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro,  2008.

d1- A questão africana na arte contemporânea

d1- Arte e religiosidade

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Carlos Moura
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
From Marta Heloísa Leuba Salum. Arquivo Histórico Wanda Svevo /Fundação Bienal de São Paulo
Location
Biblioteca Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP / Pós-graduação