Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110443
    TITLE
    A arte e a vida urbana no Brasil
    IN
    Textos informes. -- São Paulo, Brasil : FAU, 1971
    DESCRIPTION
    ill.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Motta, Flávio L. "A arte e a vida urbana no Brasil." In Textos informes. São Paulo, Brazil: FAU, 1971.
Editorial Categories [?]
Synopsis

In this text, Flávio Motta examines everyday urban life as well as certain qualities of life in the country. Motta asserts that life in the city—an environment fraught with contradiction—is not natural or without costs; the phenomenon of the city is, rather, cause for reflection. Motta discusses the space constructed by history and the topic of social time, which has been transformed by many conditions surrounding work. A product that might appear to be the end of the production chain can be seen as raw material for construction, something found in the trash but later used on the outskirts of the city. A burned out light bulb (a seemingly useless object) can be used to hold kerosene in artisanal lamps. Thanks to creative work that organizes the universe of things found in impoverished settings, the object takes on another meaning as soon as its initial meaning has been lost. That does not, in Motta’s view, consecrate an “aesthetic of trash” of the sort upheld by the champions of the Third World. What it does, rather, is demonstrate human ability to adapt to the chain of production, distribution, and consumption, which by no means justifies poverty.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Flávio Motta indaga sobre a vida urbana, que dimensiona o cotidiano, e também sobre qualidades da vida rural. Para o autor, a cidade, ambiente de contradições, não é coisa dada, natural, e faz pensar. Refere-se ao espaço construído pela História e ao tempo social transfigurado por múltiplas condições do trabalho. Sendo assim, um produto que aparece como ponto de chegada de uma linha de produção será visto como matéria prima, no lixo, na periferia da cidade. A lâmpada elétrica, produto acabado, depois de usada e queimada, viria se tornar reservatório de vidro para querosene de uma lamparina artesanal. A lâmpada perderia sua significação para adquirir outra, fruto de atividade criativa capaz de organizar o universo de peças em ambiente de pobreza. Para Motta, isso não consagra uma estética do lixo e da miséria a gosto do "terceiromundismo", apenas mostra a capacidade humana de se adaptar a uma determinada distribuição, produção e consumo, o que não justifica a pobreza.

Revert to English synopsis
Annotations

This fundamental text is a discussion of how waste materials are later turned into raw materials in “marginalized” areas on the outskirts of the city. Awareness of this phenomenon, along with the use of popular and everyday images, was central to some artistic production of the time even when that production eschewed the term “trash aesthetic.” In other words, the uplifting of “the precarious” is not what’s at stake in this artwork. What is, rather, is making the most intelligent use possible of the materials that come to individuals by chance in peripheral countries.

 

Professor, historian, and critic Flávio [Lúcio Lichtenfelds] Motta (b. 1923) was an influential member of the faculty at the Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). He was responsible for introducing art history and the history of aesthetics into the curriculum. In 1967, he and artist Nelson Leirner proposed the first parade of flags and banners, producing works based on what was called “literatura de cordel” from northeastern Brazil. The first parade, which took place on Brasil Avenue in São Paulo, used flags that had been confiscated by the repressive military forces; the second, which took place in Praça General Osório in Rio de Janeiro in early 1968, included artists like Hélio Oiticica and Rubens Gerchman. In 1967, Motta proposed a project whereby visitors to the IV Salão do Distrito Federal in Brasília would make seals.

 

For additional text by Motta, see “Arte cinética e pop arte” (ICAA digital archive doc. no. 1111367); “Arte na cidade” (doc. no. 1110633); “Arte na cidade” written with Marcello Nitsche (doc. no. 1110634); “Arte pobre: gato encaixado” (doc. no. 1111369); “Desenho e emancipação” (doc. no. 1111178); “As esculturas de plástico de Mario Cravo Junior” (doc. no. 1111368); “O olho” (doc. no. 1111374); “Superfícies habitáveis: memorial I” (doc. no. 1110637); “Trabalho e linguagem” (doc. no. 1111375); and an untitled text [“Vimos a paisagem enquadrada e as árvores caídas (…)”] (doc. no. 1111210).

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Texto fundamental que discute o reaproveitamento de objetos descartados, que servem de matéria prima para a produção criativa no contexto de exclusão. Tal pensamento, alargado pela incorporação de imagens populares e do cotidiano, caracteriza parcela da produção artística da época, que recusa uma "estética do lixo". Ou seja, não há a exaltação do precário, mas aproveitamento inteligente das matérias dadas disponíveis no contexto de país periférico. O professor Flávio Motta teve atuação marcante na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, sendo responsável pela introdução das aulas de história da arte e estética do projeto no curso. Em 1967, em conjunto com o artista Nelson Leirner, propõe o primeiro desfile de bandeiras ou estandartes, produzindo peças a partir de imagens populares e de cordel. O primeiro desfile acontece na Avenida Brasil, em São Paulo, em 1967, quando as bandeiras são apreendidas pela polícia; o segundo, na Praça General Osório, no Rio de Janeiro, no início de 1968, acompanhado por muitos artistas, entre os quais Hélio Oiticica e Rubens Gerchman. Motta propõe também em 1967 a confecção de carimbos, que foram impressos pelo público no IV Salão do Distrito Federal, em Brasília.

c- Apropriações. Entrecruza/o de culturas: cult popular e cult erudita; cult artística e indústria cultural; cult rural, cult urbana, cult suburbana

Revert to English annotations
Researcher
Marco Andrade
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Biblioteca da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - FAU/USP