Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110341
    TITLE
    O problema social na arquitetura
    NOTES

    Publicado posteriormente em:

    XAVIER, Alberto (org.). Depoimento de uma geração - arquitetura moderna brasileira. São Paulo: Cosac & Naify, 2003. p.184-188.

    IMPRINT
    São Paulo, Brasil : [s.n.], set./out 1955
    DESCRIPTION
    2p.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Journal article – Conferences
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    NIEMEYER, Oscar. O problema social na arquitetura. A & D: Arquitetura e Decoração, São Paulo, n.13, p.[6-7], set./out 1955.
Editorial Categories [?]
Synopsis

In this text, Oscar Niemeyer comments on the discomfort and misgivings that many people in the world of architecture feel in response to modern Brazilian architecture. “The traditionalists” long to preserve the sometimes age-old popular tradition, while “the rationalists” defend objective and simple solutions. Niemeyer considers such criticism respectable, even when it comes from foreign sources, and analyzes its motivations and justifications. He believes that one of architecture’s main failings is the lack of human content, and that that failing reflects a social paradox. Niemeyer is aware of the limitations of his profession, which mostly constructs bourgeois homes, government complexes, and commercial projects. The lack of a civil construction industry at the time had led to a motley assortment of formal solutions, which in turn made architecture with social content impossible; architecture was oriented, rather, towards speculation of forms based on the operative constructive systems. Like urbanist Lúcio Costa, with whom he shared a concern with the ongoing lack of interest in urban planning, Niemeyer believes that an alliance between traditional forms and modern techniques is impossible. In an attempt to eschew obsolete solutions, Niemeyer devises a new visual meaning that reflects harmonious logic and tries to avoid real estate exploitation. A staunch socialist, he looks to the Soviet case with its unwavering commitment to the collective. 

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Oscar Niemeyer comenta a insatisfação e a reserva de alguns arquitetos brasileiros em relação à arquitetura moderna brasileira. De um lado, tradicionalistas, que almejam uma arquitetura baseada na tradição e cultura do povo e, de outro, racionalistas, que querem soluções simples e racionais. Respeita tais críticas, mesmo por parte dos estrangeiros, e pondera sobre os motivos e justificativas. Acredita que uma das principais deficiências a registrar na arquitetura seria a falta de conteúdo humano, refletindo as contradições sociais. Reconhece o limite da profissão, que esteve voltada às casas burguesas, ao governo e às obras comerciais. Ausência de contenção e inexistência de uma indústria da construção civil permitiram variedade e riqueza de formas e a afastaram da rigidez da arquitetura européia, assim como tornaram impossível uma arquitetura social, orientando-se para a especulação formal a partir dos sistemas construtivos em uso. Destaca a importância de Lúcio Costa para a união de características funcionais à beleza da forma plástica. Seria impossível aliar formas tradicionais com as técnicas modernas. Afastando-se das soluções repetidas, cria-se um novo sentido plástico, lógico e harmonioso. Alguns exemplos de baixo nível seriam devidos à própria popularização da arquitetura moderna. Lamenta o descaso pelo planejamento e pelo urbanismo das cidades, entregues à exploração comercial imobiliária. Cita o caso soviético por seu caráter humano, voltado aos problemas coletivos que, infelizmente, não encontram lugar para sua aplicação no Brasil.

Revert to English synopsis
Annotations

Oscar Niemeyer delivered this lecture at the Faculdade Nacional de Arquitetura (Rio de Janeiro) on the occasion of the tenth anniversary of that institution’s founding. His reflections are a response to an array of criticisms of the “formalism” that prevailed in modern Brazilian architecture, criticisms aimed, albeit indirectly, at a certain vision of design and production. Underlying the debate is the fact that Niemeyer was a member of the Brazilian Communist Party (PCB) and, as such, he struggled with the contradictions innate to designing projects for elites and for the bourgeois, as opposed to a proletarian State.

 

[For further reading, see in the ICAA digital archive also by Niemeyer “Depoimento” (doc. no. 1110334), “Forma e função na arquitetura” (doc. no. 1110349), and “Arquitetura = Architecture” (doc. no. 1110340); and by Mário Pedrosa “Niemeyer e crítica de arte” (doc. no. 1086699), “L’architecture moderne au Brésil” (doc. no. 1086489), “A cidade nova, síntese das artes” (doc. no. 1086503), “Espaço e arquitetura” (doc. no. 1087020), “Introdução à arquitetura brasileira – I; Introdução à arquitetura brasileira – II” (doc. no. 1086620), “Introdução ao tema inaugural: A cidade no’CORE’ da Cidade Universitária” (doc. no. 1110830), and “Reflexões em torno da nova capital” (doc. no. 1086728)].

Leia este comentário crítico em português
Annotations

Conferência de Oscar Niemeyer na Faculdade Nacional de Arquitetura por ocasião dos dez anos de sua fundação. O arquiteto faz nesse texto uma reflexão em resposta às críticas sobre o formalismo da arquitetura moderna brasileira, em especial em relação a sua própria produção. Membro do partido comunista, o arquiteto enfrenta as contradições de realizar projetos voltados à elite e ao governo. Ver também o "Depoimento" do autor, datado de 1958, quando evidencia uma tomada de posição em relação a sua atividade projetiva.' Ver também: NIEMEYER, O. Depoimento. Módulo, Rio de Janeiro, n. 9, fev. 1958.

g- Arquitetura moderna. Paisagismo

g- Crítica de arquitetura: debate entre forma e função social

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Marco Andrade
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
© 2015 Artists Society (ARS), New York / AUTVIS, Sao Paulo
Location
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo