Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1110333
    TITLE
    Da necessidade de crítica sobre arquitetura
    NOTES

    Publicado originalmente em:

    Habitat, São Paulo, n.5, p. 46, 1951.

    DESCRIPTION
    3p.
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Essays
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    CORONA, Eduardo. Da necessidade de crítica sobre arquitetura. In: XAVIER, Alberto (Org.). Depoimento de uma geração - arquitetura moderna brasileira. São Paulo: Cosac & Naify, 2003. p.284-286.
Editorial Categories [?]
Synopsis

In this essay Eduardo Corona sounds a call for action as regards architectural criticism. He points to the importance of art criticism (in all its various forms) and the total lack of any attempt to develop a similar approach in the field of architecture in Brazil. In his opinion this situation keeps the general public in ignorance of the sort of artistic creativity involved in architectural design, which is consequently viewed as a purely utilitarian function where poor taste is the rule rather than the exception. Brazil’s new architecture—which is based on the principles determined by the CIAMs [International Conferences on Modern Architecture]—should rely on the appropriate sort of criticism to clarify the discipline’s social function. Despite its widespread application, rather than be described as a “fashion” it should be discussed in terms of its underlying principles and artistic values.

Leia esta sinopse em português
Synopsis

Eduardo Corona reconhece a necessidade de desenvolvimento da crítica de arquitetura. Expõe a importância da crítica de arte, exercida nas suas várias formas, e a inexistência no Brasil de uma crítica que se volte ao campo da arquitetura. Isso levaria a um desconhecimento, por parte do público, do caráter de criação artística existente na atividade arquitetônica, relegada a sua função utilitária, e à persistência do mau gosto eclético. A nova arquitetura praticada no Brasil, baseada nos princípios dos Congressos Internacionais de Arquitetura Moderna - CIAMs, deve buscar a crítica para esclarecer a função social dessa produção. Mesmo com a ampla divulgação da arquitetura moderna brasileira, deve-se evitar considerá-la moda, evidenciando seu caráter plástico, seu valor artístico e divulgando seus princípios.

Revert to English synopsis
Annotations

In 1942 the architect Eduardo Corona (1921–2001) took part in the Salão dos Dissidentes at the Escola de Belas Artes, in Porto Alegre (where he was born), and later worked as Oscar Niemeyer’s assistant on the Pampulha project (in Belo Horizonte) under the auspices of Juscelino Kubitschek, who was mayor of the city at that time. In 1949 Corona moved to São Paulo, where he joined the faculty of the FAU-USP (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de la Universidade de São Paulo). His strong support for architectural criticism can be seen in this essay, and in others that were published in important magazines such as A & D - Arquitetura & Decoração, and Acrópole. In the latter Corona published a serialized version of an essay about the prize-winning work at the Primeira Bienal (1951) which established Bill’s three-part legacy: form, function, and beauty [see “O testamento tripartido de Max Bill” in the ICAA digital archive (doc. no. 1110330)]. In 1957 Corona and Carlos Lemos co-produced the important Dicionário de Arquitetura Brasileira. The discussion about architectural criticism began in 1952 with Mário Pedrosa’s essay “Espaço e arquitetura” (doc. no. 1087020). 

Leia este comentário crítico em português
Annotations

O arquiteto Eduardo Corona, nascido em Porto Alegre, participou do Salão dos Dissidentes da Escola de Belas Artes, em 1942, e foi auxiliar de Oscar Niemeyer no projeto do conjunto da Pampulha. Em 1949 muda-se para São Paulo, onde inicia atividade didática na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Seu engajamento em prol de uma crítica de arquitetura pode ser percebido nesse texto e em outros que escreve nas revistas A & D - Arquitetura & Decoração, e Acrópole, publicando nesta, em fascículos, juntamente com Carlos Lemos, o importante Dicionário de Arquitetura Brasileira, em 1957. O debate sobre a crítica de arquitetura também será desenvolvido por Mário Pedrosa a partir de 1952, com o ensaio "Espaço e arquitetura".

 

Ver também:

PEDROSA, M. Espaço e arquitetura. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 4 out. 1952.

 

g- Crítica de arquitetura: debate entre forma e função social

g- Formação do pensamento crítico sobre arquitetura moderna no Brasil

Revert to English annotations
Researcher
Equipe Brasil: Marco Andrade
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Location
Acervo Pessoal Ana Maria Belluzzo