Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • ICAA Record ID
    1075041
    TITLE
    Em tôrno de um novo conceito de tropicalismo / Gilberto Freyre
    IN
    Um brasileiro em terras portuguesas : Introdução a uma possível luso-tropicologia / Gilberto Freyre. --- Rio de Janeiro, Brasil : J. Olympio, 1953
    DESCRIPTION
    p. [170]- 186
    LANGUAGES
    Portuguese
    TYPE AND GENRE
    Book/pamphlet article – Conferences
    BIBLIOGRAPHIC CITATION
    Freyre, Gilberto. "Em tôrno de um novo conceito de tropicalismo." In Um brasileiro em terras portuguesas: Introdução a uma possível luso-tropicologia, 170- 186. Rio de Janeiro, Brazil: J. Olympio, 1953.
    GEOGRAPHIC DESCRIPTORS
Synopsis

In this essay, the Brazilian sociologist Gilberto Freyre criticizes the exaggerated and mystic academicism of intellectual works produced by Brazilian universities that distance them from the concerns of society as a whole. Describing himself as a writer—rather than a professor or department head—Freyre lists the objections raised in academic circles to his “nonacademic” essays and ideas on the grounds that they do not conform to the research guidelines adopted by such institutes of learning all over the world. This was what prompted him to present his suggestions for a new definition of “tropicalism” in a lecture at the Faculdade de Letras de Coimbra (Portugal). He mentions the negative connotations that are usually ascribed to the term, which is used to mean loutish, messy, crude, and primitive, as distinct from the concept of “civilization” that is used to convey a sense of European refinement. Freyre therefore proposes alternative ways of perceiving the people, things, and countryside of the tropics that are not limited to the standard prism of regional ethnographic curiosities and picturesque exoticisms. He developed this new concept of “tropicalism” while visiting tropical areas of the Portuguese empire—which he called “Brazil’s sisters”—and recognized in them a similar mindset based on traditions that were common to Portuguese culture in the tropics. Freyre ends by praising the Portuguese “fraternization” with those tropical nations and the tropical-Portuguese nature of the Europeans who accept their non-Eurocentric responsibilities, problems, and commitments at an economic, political, and cultural level.       

Leia esta sinopse em português
Synopsis

O autor critica o exagerado e místico academicismo que faz a produção intelectual da universidade brasileira se separar dos interesses da sociedade. Ao definir-se como escritor, em lugar de professor ou catedrático, menciona as objeções feitas a partir do ambiente universitário a seus ensaios e idéias "inacadêmicos" (diferentemente de anti-acadêmico, segundo ele), por não seguirem os padrões de pesquisa consagrados em instituições públicas de ensino no mundo todo. Vem daí, também, seu desejo de apresentar, em conferência na Faculdade de Letras de Coimbra, em Portugal, sugestões para um novo conceito de tropicalismo. Gilberto Freyre chama a atenção para as sentidos pejorativos comumente atribuídos ao termo "tropicalismo", usado para designar o que seria próprio do bárbaro, desordenado, grosseiro e primitivo, em oposição à noção de civilização, característica do europeu requintado. Propõe, assim, interpretações do homem, das coisas e das paisagens tropicais, para além de suas curiosidades etnográficas e de seus exotismos pitorescos. O novo conceito de tropicalismo proposto por Gilberto Freyre é intuído em viagem para algumas áreas tropicais do Ultramar Português, "irmãs do Brasil", quando reconhece um estado de consciência coletiva transnacional, com base na tradição comum de cultura luso-tropical. Por fim, o autor faz um elogio à "confraternização" do povo português com a gente dos trópicos e à condição do luso-tropical, da população da Europa que assume responsabilidades, problemas e compromissos extra-europeus, seja na economia, na cultura ou na política.

Revert to English synopsis
Annotations

This lecture was given at the Instituto de Estudos Brasileiros de la Faculdade de Letras de Coimbra (Portugal, 1952), and is included in the book Um brasileiro em terras portuguesas: Introdução a uma possível luso-tropicologia that was published the following year. The “new concept” proposed by the sociologist and writer Gilberto Freyre (1900–87) bases its own genealogy on Montaigne’s pioneering essays in order to rehabilitate the values of the tropics, which he does not consider to be merely exotic curiosity pieces. In Freyre’s opinion, this approach, applied to the arts, would include an emotional as well as a sociological reappraisal. Although it may be a stretch to try to link Freyre’s Portuguese tropicalism to the “movimiento tropicalista” that emerged in Brazil in the late 1960s—in both music (Caetano Veloso) and the visual arts (Hélio Oiticica)—they were both an attempt to dispel the negativity created by the image that sought to portray tropical regions as being wild, uncivilized lands.    

 

This essay obviously reflects the Pernambuco writer’s interests in subjects that can be seen more clearly today, such as the center/periphery poles; the tensions between underdevelopment and dependence; the desire to bring the accumulated regional experience to the hegemonic conference table; and the glimpse of an artistic renewal based on “tropical” values, etc.  

Leia este comentário crítico em português
Annotations

A conferência apresentada no Instituto de Estudos Brasileiros da Faculdade de Letras de Coimbra, em Portugal, em 1952, está compilada no livro "Um brasileiro em terras portuguesas: Introdução a uma possível luso-tropicologia", publicado no ano seguinte. O "novo conceito" de tropicalismo proposto pelo sociólogo e escritor Gilberto Freyre estabelece a própria genealogia nos ensaios pioneiros de Montaigne, em nome de uma reabilitação dos valores dos trópicos, sem considerá-los elementos provocadores de mera curiosidade. Segundo Freyre, a reabilitação de valores tropicais, nas artes, seria acompanhada do resgate afetivo e sociológico. E embora não se possa falar em vínculos diretos entre o luso-tropicalismo de Freyre e o movimento tropicalista que se desenvolve no Brasil, na segunda metade da década de 1960, ambos tentam reverter a negatividade instilada na interpretação das regiões tropicais como terras de bárbaros somente.

Consultado na versão eletrônica.

b- Centro e periferia: subdesenvolvimento e dependência

b- Experiencia regional e renovação artística

b- Valores Tropicais

Revert to English annotations
Researcher
Ana Maria Moraes Belluzzo
Team
FAPESP, Sao Paulo, Brazil
Credit
Cortesia da Fundação Gilberto Freyre, Pernambucano, Brazil
Location
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo