Documents of 20th-century Latin American and Latino Art

www.mfah.org Home

IcaadocsArchive

Document first page thumbnail
  • Registro ICAA
    1110452
    AUTOR
    Chauí, Marilena de Souza
    TÍTULO
    Seminário III (segundo semestre de 1981)
    IN
    Seminários - O nacional o popular na cultura brasileira. -- São Paulo, Brasil : Brasiliense, 1983
    DESCRIPCIÓN
    p. 93- 103
    IDIOMAS
    Portugués
    TIPO Y GÉNERO
    Artículo de libro/folleto – Conferencias
    CITA BIBLIOGRAFICA
    Chauí, Marilena. "Seminário III (segundo semestre de 1981)." In Seminários - O nacional e o popular na cultura brasileira, 93- 103. São Paulo, Brazil: Brasiliense, 1983.
    DESCRIPTORES GEOGRÁFICOS
Resumen

El mencionado seminario nace de un análisis de relatos de investigación, debates, entrevistas y testimonios reunidos por la FUNARTE (Fundação Nacional da Arte) a través de su Núcleo de Estudos e Pesquisas: se focaliza el tema de cómo se representa “lo nacional” y “lo popular” en la cultura brasileña desde la década de treinta. En opinión de Marilena Chauí, aunque nacionalismo y populismo fueran políticas de cuño gubernamental hasta los años sesenta, a partir de entonces, la tarea se dislocó hacia los medios masivos (TV) lo que generó alteraciones de significados de representación “nación” y “pueblo”. Examinando tales representaciones, Chauí establece una tipología (a veces combinada) de artistas e intelectuales vinculados a lo nacional-popular: una dimensión “religiosa” (la intelectualidad entendida en calidad de misioneros); una dimensión “ideadora” (que unifique nación y pueblo como mitos y símbolos que le suministran una imagen a la sociedad); una dimensión “econômica” (nacida del ideario desarrollista-nacionalista); y una dimensión “política” (según la cual el logro de nacionalidad y popularidad sólo cabe por medio del Estado-Nación).

Leia esta sinopse em português
Resumen

O seminário é resultado da análise dos relatórios de pesquisa, debates, entrevistas e depoimentos colhidos pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas da Funarte (Fundação Nacional da Arte), sobre os diversos modos como o nacional e o popular têm sido representados na cultura brasileira desde a década de 1930. Segundo a filósofa Marilena Chauí, uma das primeiras conclusões a surgir deste estudo é que, embora o nacionalismo e o populismo tenham sido políticas propostas pelo Estado até os anos 1960, daí em diante essa tarefa foi deslocada para a televisão e os meios de comunicação de massa, o que, por sua vez, gerou modificações nos significados de nação e povo enquanto representações. O exame sobre a construção dessas representações chegou a uma tipologia de artistas e intelectuais vinculados ao nacional-popular nas seguintes dimensões, por vezes combinadas: uma dimensão religiosa (a intelectualidade entendida pela qualidade de missionários); uma dimensão educadora (com espírito pedagógico); uma dimensão ideadora (que entende nação e povo enquanto mitos e símbolos capazes de fornecer uma auto-imagem à sociedade); uma dimensão econômica (como parte da ideologia desenvolvimentista-nacionalista); e uma dimensão política (para a qual a realização da nacionalidade e popularidade só é possível por meio do Estado nacional).

Vuelva a la sinopsis en español
Comentarios críticos

Balance de estudios en torno a “lo popular” y “lo nacional” en la cultura brasileña, hecho entre 1980 y 1982, bajo la coordinación del historiador Adauto Novaes; reuniendo en diversos ensayos intelectuales de diversas áreas (filosofía, música, artes plásticas, cine, teatro, literatura, televisión y radio), publicados en seis volúmenes bajo el título de O nacional e o popular na cultura brasilera. En este seminario, la intelectual versada en filosofía Marilena [de Souza] Chauí (n. 1941), discute dificultades para definir “lo popular” y “lo nacional” a varios niveles: local y cosmopolita, nacional e internacional, el primero respecto a forma y contenido, lo crítico frente al ultranacionalista, y la imposible conciliación entre lo popular, lo científico y lo romántico. Debido a tantas ambigüedades, la investigación quiso protegerse evitando generalizaciones —sobre todo en un movimiento de final de dictadura (1964-85) cuando el gobierno militar transmitía esa idea bajo el filtro de estructuras de desarrollo, integración y seguridad nacional. Esto prueba, según la autora, que “lo popular” no participaría de la historia a no ser como parte de una estrategia geopolítica bien dirigida. 

Leia este comentário crítico em português
Comentarios críticos

O texto apresenta um balanço dos estudos sobre os conceitos de "nacional" e "popular" na cultura brasileira, realizados pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas da Funarte, entre 1980 e 1982, sob a coordenação do historiador Adauto Novaes. O trabalho reuniu intelectuais das áreas de filosofia, música, artes plásticas, cinema, teatro, literatura, televisão e rádio, responsáveis por ensaios publicados em seis livros sob o título comum de "O nacional e o popular na cultura brasileira". Neste seminário, além da tentativa de buscar alguns perfis da intelectualidade nacional-popular, a filósofa Marilena Chauí levanta e discute as dificuldades para as definições de nacional e popular, em diferentes níveis: na oposição entre localismo e cosmopolitismo (seja pela radical polarização, seja pela dialética do interno e externo); na oposição entre nacional e internacional (retomada do processo anterior, mas com uma síntese dialética que passa pela economia e pela política); na dificuldade para conceituar o local e o cosmopolita por meio de outra oposição, entre forma e conteúdo; na dificuldade de caracterizar o popular no interior do nacional, e vice-versa; na dificuldade para definir o elemento crítico do elemento ufanista; e na dificuldade para conciliar as visões antagônicas do popular, a romântica e a científica. Por todos esses sinais de ambigüidade, a pesquisa procurou resguardar-se e evitar a aceitação imediata do nacional-popular na cultura, sobretudo num momento em que o Estado brasileiro pensava essa idéia sobre estruturas de segurança, integração e desenvolvimento nacionais nos anos derradeiros da ditadura militar (1964-1985). O que, na opinião de Chauí, era prova do desejo de que o popular não participasse da história do país, mas apenas como parte de uma estratégia geopolítica.

b- Cultura popular e projeto político

b- Ideologia da cultura nacional

Vuelva al comentario crítico en español
Investigador
José Augusto Ribeiro
Equipo
FAPESP, São Paulo, Brasil
Localización
Biblioteca da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - FFLCH/USP